Iniciativa Liberal: Nuno Morna defende extinção do cargo de representante da República

O cabeça de lista da Iniciativa Liberal (IL) às eleições legislativas da Madeira, Nuno Morna, defendeu hoje a extinção do cargo de representante da República porque é “desnecessário” alguém de Lisboa estar a tutelar as regiões autónomas. "Achamos...

Iniciativa Liberal: Nuno Morna defende extinção do cargo de representante da República
O cabeça de lista da Iniciativa Liberal (IL) às eleições legislativas da Madeira, Nuno Morna, defendeu hoje a extinção do cargo de representante da República porque é “desnecessário” alguém de Lisboa estar a tutelar as regiões autónomas. "Achamos completamente desnecessário haver uma tutela de Lisboa em cima das autonomias da Madeira e dos Açores, logo somos absolutos defensores da extinção do cargo do representante da República”, disse o candidato. Nuno Morna falava no Funchal, numa ação de campanha que decorreu junto ao Palácio de São Lourenço, residência do representante da República para a Região Autónoma, e na qual contou com a presença do presidente da IL, Carlos Guimarães Pinto. Para Nuno Morna, o representante da República “não é mais do que uma figura que perpassou ao longo da História” e recordou que, na Madeira, o primeiro foi nomeado aquando da “ocupação de Portugal por Espanha em 1580”. “Foi até depois do 25 de Abril e depois levámos com o ministro da República e, agora, com o representante da República", disse. Frisando que "não tem nada contra o dr. Irineu Barreto [atual representante da República na Madeira]”, Nuno Morna explicou que esta posição não é pessoal, mas sim “em relação à figura porque acaba de ser quase que uma figura colonial e fiscalizadora de uma autonomia que se quer adulta e madura". Para o candidato, as atribuições do representante da República deviam ser exercidas pelo Presidente da República. Esta é a primeira vez que o IL concorre a eleições legislativas na Madeira.