Insólito: ’Acumuladora compulsiva’ viveu com o cadáver da mãe durante três anos

Uma mulher de 57 anos viveu durante três anos com o cadáver da mãe, depois de embalsamá-lo em sal que utilizava para controlar o gelo das estradas, informa a The Mirror, citado pelo Semanário SOL.  As autoridades forçaram a entrada na residência,...

Insólito: ’Acumuladora compulsiva’ viveu com o cadáver da mãe durante três anos
Uma mulher de 57 anos viveu durante três anos com o cadáver da mãe, depois de embalsamá-lo em sal que utilizava para controlar o gelo das estradas, informa a The Mirror, citado pelo Semanário SOL.  As autoridades forçaram a entrada na residência, no Reino Unido, após a mulher, Valerie Jones, ter desmaiado. Deparam-se com a casa numa “autêntica confusão”. O cadáver da mãe, de 83 anos (também esta acumuladora compulsiva), só foi encontrado três semanas depois, junto a sacos com fezes e urina. A residência era considerada inabitável por não ter água potável ou eletricidade.  A idosa não era vista desde julho de 2015, altura em que foi a uma consulta médica. Valerie dizia aos vizinhos que a mãe tinha sido institucionalizada.  Quando questionada, a mulher falou como se a mãe estivesse viva. Num momento posterior, explicou que a causa de morte foi uma estante que lhe tinha caído em cima, no então, não havia qualquer estante em casa. Apesar disso, não foram encontrados indícios de que Valerie estivesse envolvida na morte da mãe, podendo na mesma ser acusada de impedimento de enterro legal do corpo.  Valerie Jones encontra-se, atualmente, numa instituição psiquiátrica.