Jardim diz não haver inconveniente se Albuquerque assumir a liderança da lista às nacionais

Na Herdade do Chão da Lagoa, Alberto João Jardim abordou a possibilidade de Miguel Albuquerque encabeçar a lista do PSD às Eleições Legislativas. Não vê qualquer problema, até porque já fez o mesmo, mas lembra que as eleições eram mais distantes....

Jardim diz não haver inconveniente se Albuquerque assumir a liderança da lista às nacionais
Na Herdade do Chão da Lagoa, Alberto João Jardim abordou a possibilidade de Miguel Albuquerque encabeçar a lista do PSD às Eleições Legislativas. Não vê qualquer problema, até porque já fez o mesmo, mas lembra que as eleições eram mais distantes. “Isso é com ele, mas eram sempre eleições com uma certa distância. Não tem inconveniente nenhum ser cabeça de lista em ambas”, aponta, não deixando de vincar que quando assumiu ser cabeça-de-lista das eleições à Assembleia da República, “dizia sempre de antemão que a minha opção era ocupar o lugar de presidente do Governo”. Alberto João Jardim não se quer pronunciar sobre a possibilidade do próximo Governo Regional resultar de um projeto de coligação. “Se eu adivinhasse já estava rico com o Euromilhões”. Mas está disponível para colaborar em tudo o que o partido lhe solicitar. “Faço o que me mandarem, sou militante de base por isso faço o que mandarem, embora a comunicação social censure a minha presença nos atos do PS, algo que já é hábito”, acrescentou, recordando que “ainda na semana passada fui ao Porto Santo” e pouco foi dito sobre o assunto. Sobre a sua intervenção no partido é irónico: “Mandam-me para aqui e acolá e eu vou, como sabe eu sempre fui um rapaz obediente”. Sobre Rui Rio, que tem sido alvo de críticas, considerou-o um “dirigente partidário um pouco diferente do habitual. Normalmente em Portugal os dirigentes partidários só pensam em ganhar eleições, o projeto do Rui Rio é de médio prazo, aliás, ele mesmo diz que primeiro está o Estado e depois o partido. Nunca ouvi antes, à exceção do Dr. Sá Carneiro, um dirigente partidário dizer isto.” Apesar de elogioso para o líder nacional, admitiu que tem um feito diferente. “A minha oposição era contra vossas excelências (comunicação social) e contra os adversários políticos. São estilos pessoais, maneiras diferentes”