Jardim: “Há que pôr o PSD num estaleiro e fazer uns consertos ao barco”

“Não foi ainda desta que as forças que desde 2012 em Lisboa se movimentam para destruir o PSD Madeira conseguiram a sua avante, nem foi desta que os capitalistas ingleses da Madeira velha e os seus sócios da esquerda caviar cá da terra, os...

Jardim: “Há que pôr o PSD num estaleiro e fazer uns consertos ao barco”
“Não foi ainda desta que as forças que desde 2012 em Lisboa se movimentam para destruir o PSD Madeira conseguiram a sua avante, nem foi desta que os capitalistas ingleses da Madeira velha e os seus sócios da esquerda caviar cá da terra, os Trindades, os Blandys, os Caldeiras, toda essa gentinha, conseguiram derrotar o PSD”, disse Alberto João Jardim à RTP.  O antigo presidente do Governo Regional descreveu-se ao mesmo tempo “aborrecido” pela perda da maioria absoluta e “deliciado” pelas forças de esquerda estarem a “agatanhar-se em casa”. “Não estou satisfeito, ainda tentei dar a mão, mas o PSD paga neste momento o preço dos dois primeiros anos desastrosos de governo que fez aqui na Madeira”, considerou. A seu ver, o partido precisa de “imensas e importantes” mudanças internas que têm de ser feitas, mesmo contra “quem for teimoso”. “Há que pôr o PSD num estaleiro e fazer uns consertos ao barco”. E se o CDS efetuar coligação à esquerda, nas próximas eleições nem irá “eleger um deputado”, considera o ex-governante.  “Se o CDS quiser se suicidar, que vá nessa”, acrescentou. Não obstante, destaca o “bom senso” de Rui Barreto que só “se perder o juízo de hoje para amanhã” poderá equacionar uma coligação com o PS.