Jorge Carvalho sublinha importância das escolas nas relações interpessoais dos alunos

A Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional de Educação, organizou esta manhã um seminário intitulado ‘Relações Interpessoais: entre o Real e o Virtual’, no Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira,...

Jorge Carvalho sublinha importância das escolas nas relações interpessoais dos alunos
A Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional de Educação, organizou esta manhã um seminário intitulado ‘Relações Interpessoais: entre o Real e o Virtual’, no Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira, onde Jorge Carvalho, secretário regional de Educação, Ciência e Tecnologia na sua intervenção, sublinhou o papel das escolas nas relações interpessoais dos alunos.   “20 escolas dos 2.º e 3.º ciclos e ensino secundário abrangidas, envolvidos 27 professores e 281 turmas no projeto de Educação para a Sexualidade e Afetos ESA. A escola desempenha um papel fundamental na formação do individuo. É também na escola que os alunos apreendem valores como o respeito pelo outro, a solidariedade, a tolerância e outros imprescindíveis para a vida em sociedade; (…) a importância das relações interpessoais na vida de cada um e que vão construindo a sua rede de relações, a qualidade dessas relações está, assim, fortemente dependente do tempo de vida que as crianças, os adolescentes e os jovens experimentam na escola” disse. A iniciativa teve como destinatários educadores de infância, alunos e docentes do ensino básico e secundário da Região, encarregados de educação e outros profissionais de saúde e educação e demais agentes, com o objetivo de discutir assuntos relacionados com os riscos inerentes ao uso das tecnologias, bem como ajudar os alunos a serem capazes de efetuar escolhas responsáveis e consistentes na sua vida sexual, com todas as problemáticas a ela arroladas. “Este seminário dimensiona-se precisamente nesse quadro de responsabilidades, o qual, além das exigências no plano das intervenções formativas dos docentes, diz muito da escola atual. O desafio é considerável mas também dá boa nota da escola que temos e queremos: era menos exigente fingir que as relações interpessoais não têm uma importância decisiva no desenvolvimento integral de todos e cada um dos nossos alunos. Poderíamos, nessa circunstância, ficar instalados na comodidade que não enfrenta as realidades, no cinismo que distorce a importância de intervenções como a que está em equação neste evento”, expôs. Por fim, Jorge Carvalho, congratulou a promoção da inciativa e todos os participantes da mesma, referindo que “aguarda que os trabalhos produzam conhecimento que permita elevar o nível de intervenção dos docentes também nesta dimensão da formação que todos têm direito de alcançar no seu percurso escolar”, conlcuiu.