Jornadas Madeira 2021: Sidónio Pestana questiona "chumbos" da Assembleia Municipal

O vice-presidente da Câmara Municipal interveio para rebater a intervenção do presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol. Sidónio Pestana diz não perceber porque foi chumbado o mapa de pessoal e um empréstimo financeiro que a autarquia queria obter. “Não é sensato que é dizer que foi um chumbo em prol da população do concelho”, afirmou Sidónio Pestana, criticando os chumbos dados pela Assembleia Municipal. A estrada do Lugar de Baixo precisa de investimento e, também esta intervenção, diz ter sido chumbada pela Assembleia Municipal. Simão Santos respondeu à intervenção de Sidónio Pestana, salientando que “ninguém chumba um mapa de pessoal e um empréstimo com leveza”. O presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol argumentou que o chumbo se deveu à falta de clareza em alguns pontos. “Não sofro de pressões externas”, afirmou, explicando que, em relação ao empréstimo, faltava documentação “importante” tais como a especificação de valores e quais os projetos a que se destinava. Em relação à execução de uma obra, Simão Santos disse que “se não há explanação do que é pretendido fazer, eu não posso adivinhar o que querem fazer”.

Jornadas Madeira 2021: Sidónio Pestana questiona "chumbos" da Assembleia Municipal
O vice-presidente da Câmara Municipal interveio para rebater a intervenção do presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol. Sidónio Pestana diz não perceber porque foi chumbado o mapa de pessoal e um empréstimo financeiro que a autarquia queria obter. “Não é sensato que é dizer que foi um chumbo em prol da população do concelho”, afirmou Sidónio Pestana, criticando os chumbos dados pela Assembleia Municipal. A estrada do Lugar de Baixo precisa de investimento e, também esta intervenção, diz ter sido chumbada pela Assembleia Municipal. Simão Santos respondeu à intervenção de Sidónio Pestana, salientando que “ninguém chumba um mapa de pessoal e um empréstimo com leveza”. O presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol argumentou que o chumbo se deveu à falta de clareza em alguns pontos. “Não sofro de pressões externas”, afirmou, explicando que, em relação ao empréstimo, faltava documentação “importante” tais como a especificação de valores e quais os projetos a que se destinava. Em relação à execução de uma obra, Simão Santos disse que “se não há explanação do que é pretendido fazer, eu não posso adivinhar o que querem fazer”.