Jornadas Madeira 2021: Simão Santos justifica os dois chumbos que a Assembleia Municipal deu ao longo do mandato

O presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol afirma que um milhão e 700 mil euros era mais que suficiente para investir nas obras que a Câmara queria realizar. Numa intervenção com farpas à presidência da Câmara da Ponta do Sol, presidida pela socialista Célia Pessegueiro, Simão Santos justificou, na sua intervenção nas Jornadas Madeira 2021, que se realizam hoje no Município da Ponta do Sol, o chumbo ao empréstimo pretendido pela Autarquia.   Relativamente ao chumbo dado aos novos elementos que a Autarquia pretendia contratar, o presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol adiantou que esta posição se deveu ao facto de não terem sido dadas justificações plausíveis para tal contratação. "Sempre me pautei por comportamentos condignos com o cargo que ocupo", justificou o presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol quando justificava os dois chumbos dados pelo órgão a que preside às iniciativas da Câmara. Na oportunidade, Simão Santos apontou obras necessárias, que só poderão ser criadas com alguns consensos, como estão a acontecer em alguns municípios vizinhos.

Jornadas Madeira 2021: Simão Santos justifica os dois chumbos que a Assembleia Municipal deu ao longo do mandato
O presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol afirma que um milhão e 700 mil euros era mais que suficiente para investir nas obras que a Câmara queria realizar. Numa intervenção com farpas à presidência da Câmara da Ponta do Sol, presidida pela socialista Célia Pessegueiro, Simão Santos justificou, na sua intervenção nas Jornadas Madeira 2021, que se realizam hoje no Município da Ponta do Sol, o chumbo ao empréstimo pretendido pela Autarquia.   Relativamente ao chumbo dado aos novos elementos que a Autarquia pretendia contratar, o presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol adiantou que esta posição se deveu ao facto de não terem sido dadas justificações plausíveis para tal contratação. "Sempre me pautei por comportamentos condignos com o cargo que ocupo", justificou o presidente da Assembleia Municipal da Ponta do Sol quando justificava os dois chumbos dados pelo órgão a que preside às iniciativas da Câmara. Na oportunidade, Simão Santos apontou obras necessárias, que só poderão ser criadas com alguns consensos, como estão a acontecer em alguns municípios vizinhos.