José Prada acusa Carlos Pereira de fingir "descolagens" de Ana Gomes

José Prada considera fictícia a posição de Carlos Pereira em relação Ana Gomes, nomeadamente as críticas que o candidato socialista à Assembleia da República teceu à ex-eurodeputada. O secretário-geral do partido entende mesmo que Carlos Pereira...

José Prada acusa Carlos Pereira de fingir "descolagens" de Ana Gomes
José Prada considera fictícia a posição de Carlos Pereira em relação Ana Gomes, nomeadamente as críticas que o candidato socialista à Assembleia da República teceu à ex-eurodeputada. O secretário-geral do partido entende mesmo que Carlos Pereira finge "ter feito o que nunca fez", em nota escrita que publicamos na íntegra: "Não fosse a campanha do PS/M às Legislativas baseada na evidente manipulação dos factos e na usurpação do trabalho dos outros, talvez até os Madeirenses e Porto-Santenses acreditassem no que é dito, dada a cosmética associada. Valha-nos a memória – que não é curta – dos Madeirenses e Porto-Santenses que sabem, perfeitamente, quem foi que, na República, colocou os interesses da Região acima de qualquer outro interesse. Ainda assim, importa contrapor a ficção e a realidade paralela em que, pelos vistos, o PS/M emergiu, primeiro com o candidato que achou que tinha ganho sem ganhar nas Regionais e, agora, com o cabeça-de-lista que assume ter feito o que nunca fez e que até votou contra aquilo que diz ter conseguido. PARECE UMA TRAPALHADA? SIM, CLARO QUE É. Mas nada que não se clarifique, nos pontos principais – para não ser exaustivo – de forma simples: · NÃO FOI O PS/M - que lutou, na República, pela redução das taxas de juro. · NÃO FOI O PS/M - que conseguiu alterar, na República, o modelo de subsídio de mobilidade. Aliás, esta alteração só não foi implementada mais cedo porque os deputados do PS/M votaram contra no parlamento nacional. · NÃO FOI O PS/M - que lutou, na República, pelo financiamento do novo Hospital. · NÃO FOI O PS/M - que defendeu, na República, o CINM, bem pelo contrário. E A LISTA DE EXEMPLOS É INTERMINÁVEL. Assim como é infinita a falta de vergonha na cara dos que se afirmam, agora, como “guardiões da Autonomia”, quando nos últimos quatro anos tudo fizeram contra ela, numa submissão a António Costa que prejudicou, a todos os níveis, a nossa Região e que nada, absolutamente nada, abonou em nosso favor. E reparem que de nada vale fingirem descolagens, como a de ontem relativamente a Ana Gomes. O candidato socialista à República não pode esquecer que tanto Ana Gomes como António Costa são do seu partido e que, se prejudicaram a Madeira, fizeram-no nessa qualidade e ao serviço das funções que desempenhavam no país. Ou será que também agora temos mais independentes?"