José Prada contra os "cobardes que querem vender a Madeira a Lisboa"

O secretário-geral do PSD/M, José Prada, acusa os adversários políticos que falam em coragem de mudar nas próximas eleições de cobardia. Durante o discurso que efetuou há instantes, mostrou-se muito crítico, principalmente contra Lisboa e a...

José Prada contra os
O secretário-geral do PSD/M, José Prada, acusa os adversários políticos que falam em coragem de mudar nas próximas eleições de cobardia. Durante o discurso que efetuou há instantes, mostrou-se muito crítico, principalmente contra Lisboa e a candidatura socialista às Regionais. “Não venham pedir coragem para mudar. Se há povo corajoso, se há povo lutador, são os madeirenses e portosantenses. Cobardes são aqueles que querem vender a Madeira a Lisboa. Cobardes são aqueles que não fizeram nada pela Autonomia. Cobardes são aqueles que ainda não entenderam que o nosso partido é a Madeira. Cobardes são aqueles que ainda não perceberam que quem manda aqui são os madeirenses e portosantenses”, frisou. Num discurso marcado pelo apelo à união, não faltaram críticas aos adversários, garantindo que a Autonomia será uma bandeira que “o PSD nunca vendeu, nem venderá a Lisboa, que alguns agora defendem porque dá jeito”. E acrescentou: “Para ser autonomista não basta colocar um cartaz com a bandeira da Madeira, é preciso muito mais. É preciso respeitar e honrar o significado da Autonomia. O PSD sempre esteve na primeira fila dos grandes combates e continuará a estar, não volta as costas nem aos madeirenses nem os portosantenses”. Por isso pede o voto no PSD no dia 22 de setembro, apelando para que os sociais-democratas estam “mais unidos e mobilizados do que nunca, para mostrar que não precisamos de ensinamentos baratos e fracassados de Lisboa, para mostrar que queremos a reeleição do nosso presidente, Miguel Albuquerque.” “Vamos escolher entre quem sabe governar e quem não sabe, escolher entre quem é madeirense e quem é mandado por lisboa”, acusando a candidatura socialista de ser “um fantoche”