JPP apresenta requalificação do Relógio de Água da Azenha

O Juntos pelo Povo (JPP) esteve no Caniço onde realizou uma iniciativa no âmbito da valorização patrimonial, nomeadamente a apresentação da requalificação do Relógio de Água da Azenha, um importante património cultural e um exemplo único da arquitetura industrial da Região que conta com apenas três exemplares, dois no Município de Santa Cruz e um na Ponta de Sol. Rafael Nunes, porta-voz da iniciativa, enalteceu a postura dos órgãos executivos na valorização do património histórico e relembrou “que o JPP levou em 2017, à Assembleia Legislativa da Madeira, uma iniciativa a propor a valorização deste mesmo Relógio de Água que, entretanto, foi chumbada pelo PSD e pelo CDS, apesar de não estarem coligados na altura, já faziam este pacto contra a valorização do património, principalmente quando se tratava de Santa Cruz.” Perante o chumbo da proposta, a Câmara Municipal de Santa Cruz, liderada pelo JPP, avançou com as obras de requalificação e criou uma equipa multidisciplinar sob a coordenação do historiador de arte, professor Emanuel Gaspar, para devolver a dignidade a este espaço. “Uma recuperação fenomenal, fruto de um trabalho conjunto entre a autarquia e a junta de freguesia do Caniço e que vem dar uma nova vida a este monumento histórico que já estava num avançado estado de degradação.” “Isto foi feito, como diz o povo, com a prata da casa e em tempo de pandemia não podemos nos dar a muitas despesas, mas aqui está um bom exemplo de gestão, recuperamos um património com o mínimo de gasto possível, mas com a máxima autenticidade e sem colocar em causa as ajudas sociais e os apoios diretos às famílias, mantendo a missão social que é particularmente importante nesta conjuntura pandémica”, conclui.  

JPP apresenta requalificação do Relógio de Água da Azenha
O Juntos pelo Povo (JPP) esteve no Caniço onde realizou uma iniciativa no âmbito da valorização patrimonial, nomeadamente a apresentação da requalificação do Relógio de Água da Azenha, um importante património cultural e um exemplo único da arquitetura industrial da Região que conta com apenas três exemplares, dois no Município de Santa Cruz e um na Ponta de Sol. Rafael Nunes, porta-voz da iniciativa, enalteceu a postura dos órgãos executivos na valorização do património histórico e relembrou “que o JPP levou em 2017, à Assembleia Legislativa da Madeira, uma iniciativa a propor a valorização deste mesmo Relógio de Água que, entretanto, foi chumbada pelo PSD e pelo CDS, apesar de não estarem coligados na altura, já faziam este pacto contra a valorização do património, principalmente quando se tratava de Santa Cruz.” Perante o chumbo da proposta, a Câmara Municipal de Santa Cruz, liderada pelo JPP, avançou com as obras de requalificação e criou uma equipa multidisciplinar sob a coordenação do historiador de arte, professor Emanuel Gaspar, para devolver a dignidade a este espaço. “Uma recuperação fenomenal, fruto de um trabalho conjunto entre a autarquia e a junta de freguesia do Caniço e que vem dar uma nova vida a este monumento histórico que já estava num avançado estado de degradação.” “Isto foi feito, como diz o povo, com a prata da casa e em tempo de pandemia não podemos nos dar a muitas despesas, mas aqui está um bom exemplo de gestão, recuperamos um património com o mínimo de gasto possível, mas com a máxima autenticidade e sem colocar em causa as ajudas sociais e os apoios diretos às famílias, mantendo a missão social que é particularmente importante nesta conjuntura pandémica”, conclui.