JPP defende que os partidos do arco da governação têm de ser castigados nas eleições

O Juntos pelo Povo (JPP) esteve no centro do Funchal, nomeadamente na Rua Fernão Ornelas, onde realizou uma atividade de campanha junto das pessoas e abordou aquilo que tem sido a postura de alguns partidos tradicionais nesta corrida à Assembleia...

JPP defende que os partidos do arco da governação têm de ser castigados nas eleições
O Juntos pelo Povo (JPP) esteve no centro do Funchal, nomeadamente na Rua Fernão Ornelas, onde realizou uma atividade de campanha junto das pessoas e abordou aquilo que tem sido a postura de alguns partidos tradicionais nesta corrida à Assembleia Legislativa da Madeira. Élvio Sousa acusou o PSD “de andar a usar as instituições do Governo Regional para meter medo aos funcionários públicos e criar um clima surreal de pânico no tecido empresarial, com a eventual perda das eleições. Esse é um sintoma de desespero, e de intranquilidade.” O cabeça de lista do JPP diz “estar na hora de castigar severamente o PSD, que foi o grande responsável pelo aumento do custo de vida na Região (água, luz e gás), o grande responsável pelo aumento dos impostos às famílias e as empresas. Mas atenção, está na hora também de castigar todos os outros partidos que levaram o país à bancarrota, os partidos centralistas que só se lembram das Regiões Autónomas quando há eleições, e que estão a proteger os grandes interesses instalados.” “Há dias assistimos a um candidato do PSD, a fazer chantagem entre a estabilidade politica e a criação de mais emprego, numa atitude escandalosa para a manutenção do status quo despesista. Temos de acabar com as maiorias, e por o PSD o mais depressa possível em lista de espera.” Élvio Sousa conclui que “para dar a volta a isto, não podemos confiar nos responsáveis pela dívida regional e naqueles que levaram o país à ruína e à bancarrota. Temos de confiar naqueles que sabem administrar o dinheiro dos contribuintes de forma responsável, temos de confiar num Movimento que tem o povo nas suas fileiras.”