JSD terá eleições de concelhia no próximo mês de novembro

Ao final de tarde desta quinta-feira realizou-se a primeira reunião da nova Comissão Política Regional da JSD-Madeira, eleita no XXIV Congresso da estrutura regional, realizado no Funchal, que elegeu Bruno Melim para mais dois anos à frente da estrutura de juventude dos social-democratas. Em declarações à margem da reunião, uma das conclusões evidenciadas pelo líder dos jovens social-democratas foi, precisamente, o sucesso dos trabalhos do encontro do fim de semana passado. “O sucesso do Congresso passado materializou-se em vários aspetos, entre os quais, as dezenas de intervenções de jovens da nossa estrutura, representativos dos 11 concelhos da Região, em que deram a sua perspetiva sobre o que deve ser o futuro da Madeira. Além disso, os sinais de unidade e de vitalidade da estrutura evidenciados nessa reunião, foram significativos demonstrando que na JSD-Madeira independentemente das diferenças de cada um, estamos todos unidos em prol da social-democracia, da autonomia e do grande objetivo de continuar a criar melhores condições de vida para os nossos jovens”. A reunião desta tarde ficou marcada ainda pela materialização do funcionamento orgânico da nova estrutura, aprovado no decurso dos trabalhos do último congresso, onde ficou evidenciada a vontade de desenvolver um projeto político que envolva, nas palavras do líder da JSD-M, toda a estrutura desde o primeiro momento. “A criação de uma estrutura política única em que a Secretária-Geral continua a assumir um papel fundamental de operacionalização e ligação das estruturas e onde os Vice-Presidentes assumem responsabilidades políticas mais tangíveis, nomeadamente na coordenação de estruturas autónomas, é um sinal claro da importância que a JSD-Madeira dá à descentralização política e, ainda, ao surgimento de novos quadros. Seremos tanto mais fortes, quanto mais interlocutores formos capazes de ter a defender os interesses da Juventude da Madeira”, referiu Bruno Melim para quem é “absolutamente estruturante termos, de forma coordenada, vários interlocutores a abordar os anseios da sociedade madeirense”. Nesses termos, os vice-presidentes da JSD-M António Gonçalves, Dinis Ramos, André Pão e Ricardo Freitas ficaram responsáveis, respetivamente, pelas temáticas da Economia, Emprego, Finanças Ciências e Tecnologia; Administração Pública, Cultura, Turismo e Transportes; Educação e Desporto e, ainda, Assuntos Sociais, Inclusão e Habitação, cabendo à Secretária-Geral Jéssica Faria a coordenação operacional e logística de toda a “máquina laranja”. Ainda no capítulo interno, ficou ainda decidido em reunião de Comissão Política Regional que as eleições de concelhia decorrerão ainda no mês de novembro e as respetivas tomadas de posse em dezembro, com o intuito de “iniciar 2023 com a casa arrumada e prontos para o combate eleitoral.” Nos temas abordados, nota ainda para o facto da JSD-Madeira regressar às “conversas com a sociedade civil” já no próximo dia 11 de outubro, às 19h00, em Machico, na iniciativa CSI Jota- Comportamento Seguro e Informado, realizado em parceria com a Fundação Portuguesa Luta Contra a SIDA em que os jovens social-democratas abordarão os consumos das novas substâncias psicoativas e o seu efeito junto dos mais jovens. Da referida reunião, fez-se ainda saber que a estrutura social-democrata procurará, até ao final do ano de 2022, reunir com um conjunto de “agentes da sociedade civil” no sentido de apresentar as propostas políticas que constam da moção de estratégia global aprovada no último congresso, procurando “sempre que possível dar corpo legislativo às questões que se possam constituir como soluções aos problemas da Juventude”, concluiu assim Bruno Melim, presidente da JSD-Madeira.

JSD terá eleições de concelhia no próximo mês de novembro
Ao final de tarde desta quinta-feira realizou-se a primeira reunião da nova Comissão Política Regional da JSD-Madeira, eleita no XXIV Congresso da estrutura regional, realizado no Funchal, que elegeu Bruno Melim para mais dois anos à frente da estrutura de juventude dos social-democratas. Em declarações à margem da reunião, uma das conclusões evidenciadas pelo líder dos jovens social-democratas foi, precisamente, o sucesso dos trabalhos do encontro do fim de semana passado. “O sucesso do Congresso passado materializou-se em vários aspetos, entre os quais, as dezenas de intervenções de jovens da nossa estrutura, representativos dos 11 concelhos da Região, em que deram a sua perspetiva sobre o que deve ser o futuro da Madeira. Além disso, os sinais de unidade e de vitalidade da estrutura evidenciados nessa reunião, foram significativos demonstrando que na JSD-Madeira independentemente das diferenças de cada um, estamos todos unidos em prol da social-democracia, da autonomia e do grande objetivo de continuar a criar melhores condições de vida para os nossos jovens”. A reunião desta tarde ficou marcada ainda pela materialização do funcionamento orgânico da nova estrutura, aprovado no decurso dos trabalhos do último congresso, onde ficou evidenciada a vontade de desenvolver um projeto político que envolva, nas palavras do líder da JSD-M, toda a estrutura desde o primeiro momento. “A criação de uma estrutura política única em que a Secretária-Geral continua a assumir um papel fundamental de operacionalização e ligação das estruturas e onde os Vice-Presidentes assumem responsabilidades políticas mais tangíveis, nomeadamente na coordenação de estruturas autónomas, é um sinal claro da importância que a JSD-Madeira dá à descentralização política e, ainda, ao surgimento de novos quadros. Seremos tanto mais fortes, quanto mais interlocutores formos capazes de ter a defender os interesses da Juventude da Madeira”, referiu Bruno Melim para quem é “absolutamente estruturante termos, de forma coordenada, vários interlocutores a abordar os anseios da sociedade madeirense”. Nesses termos, os vice-presidentes da JSD-M António Gonçalves, Dinis Ramos, André Pão e Ricardo Freitas ficaram responsáveis, respetivamente, pelas temáticas da Economia, Emprego, Finanças Ciências e Tecnologia; Administração Pública, Cultura, Turismo e Transportes; Educação e Desporto e, ainda, Assuntos Sociais, Inclusão e Habitação, cabendo à Secretária-Geral Jéssica Faria a coordenação operacional e logística de toda a “máquina laranja”. Ainda no capítulo interno, ficou ainda decidido em reunião de Comissão Política Regional que as eleições de concelhia decorrerão ainda no mês de novembro e as respetivas tomadas de posse em dezembro, com o intuito de “iniciar 2023 com a casa arrumada e prontos para o combate eleitoral.” Nos temas abordados, nota ainda para o facto da JSD-Madeira regressar às “conversas com a sociedade civil” já no próximo dia 11 de outubro, às 19h00, em Machico, na iniciativa CSI Jota- Comportamento Seguro e Informado, realizado em parceria com a Fundação Portuguesa Luta Contra a SIDA em que os jovens social-democratas abordarão os consumos das novas substâncias psicoativas e o seu efeito junto dos mais jovens. Da referida reunião, fez-se ainda saber que a estrutura social-democrata procurará, até ao final do ano de 2022, reunir com um conjunto de “agentes da sociedade civil” no sentido de apresentar as propostas políticas que constam da moção de estratégia global aprovada no último congresso, procurando “sempre que possível dar corpo legislativo às questões que se possam constituir como soluções aos problemas da Juventude”, concluiu assim Bruno Melim, presidente da JSD-Madeira.