Julgados de Paz de Santa Cruz são medida social relevante

O presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz visitou, hoje, as instalações do futuro Julgado de Paz de Santa Cruz. Um serviço que abrirá ao público no próximo dia 13 de setembro. Em causa está um investimento inicial suprerior a 150 mil euros,...

Julgados de Paz de Santa Cruz são medida social relevante
O presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz visitou, hoje, as instalações do futuro Julgado de Paz de Santa Cruz. Um serviço que abrirá ao público no próximo dia 13 de setembro. Em causa está um investimento inicial suprerior a 150 mil euros, e que custará ao município, cerca de 100 mil euros por ano, mas que o autarca entende ser mais uma medida social de grande alcance, no sentido que permitirá o acesso à justiça e à mediação de conflitos. Neste momento, estão já em formação os técnicos que vão constituir o futuro Julgado de Paz, nomeadamente dois juristas e dois administrativos. A Juíza de Paz e os mediadores serão disponibilizados pelo Ministério da Justiça.  Filipe Sousa sublinhou a trajetória evolutiva do plano traçado para Santa Cruz pela equipa que lidera há já cinco anos, com uma matriz fortemente social. "Nesta área temos apoios que na sua globalidade atingem quase os quatro milhões de euros". Sobre a trajetória delineada, realçou que primeiro tratou-se de fazer a consolidação financeira e depois planear todo um investimento, que tem hoje uma margem superior aos 13 milhões de euros. O autarca referiu que os Julgados de Paz são mais uma valência a funcionar na Loja do Munícipe, onde além de todos os serviços camarários está já instalada uma delegação da DECO. Acredita que foi criada ali uma nova centralidade e apenas lamenta que o Governo Regional não tenha aproveitado os espaços oferecidos para ali instalar alguns serviços regionalizados.  Filipe Sousa anunciou, também, que já formalizou o convite ao Primeiro Ministro António Costa para estar presenta na inauguração, o que "honraria muitos os santacruzenses".