Madeirenses na África no Sul sente-se ameaçados

A situação de segurança na periferia de Vanderbijilpark, continua volátil, periferia onde existem estabelecimentos de madeirenses que se sentem ameaçados porque têm informações, de que aparentemente, alguns residentes se preparam para desencadear novas ações de roubo e destruição de estabelecimentos comerciais naquela área, confidenciou um comerciante madeirense esta manhã ao JM mas que pediu para manter o anonimato. Podem ser vistos na área vários veículos dos Serviços de Polícia da África do Sul (SAPS). Veículos de patrulha e segurança que prestam serviço naquela área, bateram em debandada, na tarde de ontem, quando um grupo de malfeitores se aproximou e assaltando e saqueando vários estabelecimento naquela área conforme o JM noticiou oportunamente.   Outro comerciante também da Madeira disse ao JM que sendo amanhã uma efeméride importante da história da África do Sul poderá originar novos roubos. Trata-se do Dia do Soweto ou o 43º aniversário da revolução estudantil que na manhã de 16 de junho de 1976 travou de forma heróica outros intentos do governo do “apartheid” que tentou impor que o ensino na África do Sul passase a ser ministrado em  língua afrikaans, a língua considerada pela maioria como a lingua da opressão.

Madeirenses na África no Sul sente-se ameaçados
A situação de segurança na periferia de Vanderbijilpark, continua volátil, periferia onde existem estabelecimentos de madeirenses que se sentem ameaçados porque têm informações, de que aparentemente, alguns residentes se preparam para desencadear novas ações de roubo e destruição de estabelecimentos comerciais naquela área, confidenciou um comerciante madeirense esta manhã ao JM mas que pediu para manter o anonimato. Podem ser vistos na área vários veículos dos Serviços de Polícia da África do Sul (SAPS). Veículos de patrulha e segurança que prestam serviço naquela área, bateram em debandada, na tarde de ontem, quando um grupo de malfeitores se aproximou e assaltando e saqueando vários estabelecimento naquela área conforme o JM noticiou oportunamente.   Outro comerciante também da Madeira disse ao JM que sendo amanhã uma efeméride importante da história da África do Sul poderá originar novos roubos. Trata-se do Dia do Soweto ou o 43º aniversário da revolução estudantil que na manhã de 16 de junho de 1976 travou de forma heróica outros intentos do governo do “apartheid” que tentou impor que o ensino na África do Sul passase a ser ministrado em  língua afrikaans, a língua considerada pela maioria como a lingua da opressão.