Mais Porto Santo considera que a população foi "defraudada" com o novo "arranjinho" na vereação

O Movimento Mais Porto Santo afirmou que “não baixa os braços e não desiste dos seus compromissos com a população” mesmo depois do novo “arranjinho”, na vereação da autarquia com a nomeação da vereadora Carla Sofia da Silva Santos. Na última...

Mais Porto Santo considera que a população foi "defraudada" com o novo "arranjinho" na vereação
O Movimento Mais Porto Santo afirmou que “não baixa os braços e não desiste dos seus compromissos com a população” mesmo depois do novo “arranjinho”, na vereação da autarquia com a nomeação da vereadora Carla Sofia da Silva Santos. Na última reunião ordinária da Câmara, realizada no dia 11 de fevereiro, foi comunicado oficialmente o Despacho de nomeação da ex-vereadora socialista que passa agora a ter pelouros, designadamente da Cultura, Desporto e Ambiente. Terá também sido comunicado, conforme informa o Movimento, o despacho de distribuição de Pelouros e delegação de competências no presidente e posterior suddelegação. Mas, mesmo os pelouros delegados em Sofia Santos “não passam de formalidades pois não se lhe reconhece quaisquer linhas orientadoras em matéria de Cultura, Desporto e Ambiente”, apontou o Mais Porto Santo numa nota de imprensa enviada ao JM. O Mais Porto Santo mostrou, assim, a sua insatisfação pelo “esvaziamento de poderes e competências dos vereadores da oposição que passam a ter uma tarefa mais dificultada perante a maioria artificial agora congeminada”. Segundo o Movimento, a população do Porto Santo foi "defraudada" pelo novo "arranjinho" pois “quando foi votar, em 2017, escolheu não dar a maioria ao PSD o que, agora, na prática, vai implicar que não haja uma fiscalização efectiva do exercício do poder autárquico por parte dos vereadores da oposição”. O Mais Porto Santo, referiu ainda que o novo quadro político na autarquia é um "enredo" protagonizado por quem vai "fazer número" e vai ser "engolida" pelas orientações do poder. “Resta esperar que, em setembro ou outubro de 2021, nas próximas Eleições Autárquicas, o povo do Porto Santo não esqueça estas traquinices e dê a respostas nas urnas. Porque o Povo é inteligente e as suas escolhas não podem ser ludibriadas”.