Marcelo revela episódio em que Cristiano Ronaldo se estava "a borrar de medo"

O portal The Players' Tribune publica hoje uma carta aberta de Marcelo, na qual o internacional brasileiro revela uma curiosa conversa com Cristiano Ronaldo em 2017, antes da final da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Juventus, em Cardiff....

Marcelo revela episódio em que Cristiano Ronaldo se estava "a borrar de medo"
O portal The Players' Tribune publica hoje uma carta aberta de Marcelo, na qual o internacional brasileiro revela uma curiosa conversa com Cristiano Ronaldo em 2017, antes da final da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Juventus, em Cardiff. O lateral-esquerdo estava sentado à mesa "no almoço antes da final", ao lado de Casemiro, de Danilo e do craque madeirense, quando este quebrou o "silêncio total" com palavras que, garante, não mais irá esquecer. "Toda a gente só olhava para a comida. Dava até para ouvir os estômagos das pessoas a fazer barulhos estranhos, sabe? Mas ninguém diz nada. Há um clima de tensão no ar. Finalmente, o Cristiano diz 'Uma pergunta, pessoal'", referiu. "Nós dizemos 'Claro, irmão'. O Cristiano diz 'Sou só eu que estou a sentir esta pressão no estômago?'. E toda a gente responde ao mesmo tempo 'Eu também, eu também'. Ninguém queria admitir, mas, se aquele tipo estava a sentir isso, então todos estávamos OK para admitir", acrescentou o brasileiro, citado pelo Notícias ao Minuto. Marcelo recorda o agora avançado da Juventus como um tipo "frio como o gelo. Uma máquina": "Nós temos uma expressão em português, é praticamente impossível de traduzir. Basicamente, ele é um homão da porra. E até ele se estava a borrar de medo. Isso quebrou toda a tensão Só ele poderia ter feito aquilo". "Gritámos para o garçon 'Irmão, por favor, traz-nos um pouco de água com gás. Nós precisamos de alguma ajuda para fazer a comida descer'. Depois disso, era só risada. Quando nos levantámos para ir para o estádio, o Cristiano disse-nos exatamente o que iria acontecer. Ele disse 'No começo, vai ser difícil. No segundo tempo, vamos ganhar com tranquilidade'", apontou. "Nunca me vou esquecer disso. Ele previu o que ia acontecer. Então, ele disse 'Vamos deitar, mané. Vamos deitar, mané'. E nós deitámos, cara. Eu tenho essa imagem da cara dele na minha mente. Está para sempre gravada. É muito bonita. Essas são as histórias que vou contar aos meus netos", concluiu.