Mastercard desiste de patrocinar a Copa América no Brasil

A Mastercard desistiu de patrocinar a Copa América que será realizada no Brasil, após a recusa da Colômbia e da Argentina, e que tem gerado uma grande polémica devido à alta incidência de covid-19 no país. “Após uma análise cuidadosa, decidimos não ativar o nosso patrocínio à Copa América no Brasil”, disse a multinacional norte-americana em nota divulgada aos ‘medias’ brasileiros. Dessa forma, a Mastercard, que apoia a competição desde 1992, não exibirá a sua marca nem promoverá publicidade nesta edição da Copa América, que começa no próximo domingo e decorre até ao dia 10 de julho no Brasil. O torneio, que em 2020 já havia sido adiado devido à crise sanitária, ia ser realizado inicialmente na Colômbia e na Argentina, mas os dois países alegaram que não poderiam realizá-lo por diversos motivos. Foi então que o Brasil concordou em sediar a competição, em uma decisão que teve a aprovação do Presidente do país, Jair Bolsonaro, e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que foi criticada pelos mais diversos setores políticos, médicos, especialistas e parte da população. Com mais de 477 mil mortes e 17 milhões de infeções, o Brasil é o país da América Latina mais afetado pelo vírus SARS-CoV-2. Nos últimos sete dias, o país registou cerca de 60 mil casos e cerca de 1.650 mortes diárias ligadas à doença. Nas quatro cidades-sede, Brasília, Rio de Janeiro, Cuiabá e Goiânia, o sistema público de saúde está sob forte pressão, com taxas de ocupação das unidades de terapia intensiva variando entre os 70% e os 90%.

Mastercard desiste de patrocinar a Copa América no Brasil
A Mastercard desistiu de patrocinar a Copa América que será realizada no Brasil, após a recusa da Colômbia e da Argentina, e que tem gerado uma grande polémica devido à alta incidência de covid-19 no país. “Após uma análise cuidadosa, decidimos não ativar o nosso patrocínio à Copa América no Brasil”, disse a multinacional norte-americana em nota divulgada aos ‘medias’ brasileiros. Dessa forma, a Mastercard, que apoia a competição desde 1992, não exibirá a sua marca nem promoverá publicidade nesta edição da Copa América, que começa no próximo domingo e decorre até ao dia 10 de julho no Brasil. O torneio, que em 2020 já havia sido adiado devido à crise sanitária, ia ser realizado inicialmente na Colômbia e na Argentina, mas os dois países alegaram que não poderiam realizá-lo por diversos motivos. Foi então que o Brasil concordou em sediar a competição, em uma decisão que teve a aprovação do Presidente do país, Jair Bolsonaro, e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que foi criticada pelos mais diversos setores políticos, médicos, especialistas e parte da população. Com mais de 477 mil mortes e 17 milhões de infeções, o Brasil é o país da América Latina mais afetado pelo vírus SARS-CoV-2. Nos últimos sete dias, o país registou cerca de 60 mil casos e cerca de 1.650 mortes diárias ligadas à doença. Nas quatro cidades-sede, Brasília, Rio de Janeiro, Cuiabá e Goiânia, o sistema público de saúde está sob forte pressão, com taxas de ocupação das unidades de terapia intensiva variando entre os 70% e os 90%.