Médico morre de ataque cardíaco após passar 33 dias seguidos a tratar doentes com coronavírus

Um médico chinês de 32 anos, morreu na sequência de um ataque cardíaco, ao fim de 33 dias a trabalhar sem descanso numa clínica em Guangxi, uma província da China. De acordo com o Correio da Manhã, Zhong Jinxing tinha-se oferecido para trabalhar...

Médico morre de ataque cardíaco após passar 33 dias seguidos a tratar doentes com coronavírus
Um médico chinês de 32 anos, morreu na sequência de um ataque cardíaco, ao fim de 33 dias a trabalhar sem descanso numa clínica em Guangxi, uma província da China. De acordo com o Correio da Manhã, Zhong Jinxing tinha-se oferecido para trabalhar sem folgas no passado dia 26 de janeiro, para ajudar na luta e no tratamento de doentes com coronavírus.  A mesma fonte, que cita o jornal Guangxi News, refere que o médico, que deixa para trás a esposa e uma filha de seis anos, era vice-diretor da clínica onde trabalhava, e liderava ainda a equipa médica encarregada pelo controlo e prevenção do surto de Covid-19. O profissional de saúde tinha a seu cargo múltiplas tarefas, entre as quais a realização de exames médicos porta a porta, supervisão da quarentena de pacientes que tinham regressado de Hubei e a medição da temperatura corporal de motoristas e de passageiros nas estradas da província. A imprensa chinesa conta que Zhong tinha regressado de uma reunião com os colegas quando sofreu um ataque cardíaco fulminante, acabando por desmaiar e morrer. A sua família vai receber uma indemnização de cerca de 10 mil euros. Desde o início do surto de coronavírus, que teve origem em Wuhan em dezembro de 2019, já morreram 25 médicos chineses que se dedicavam a lutar contra a epidemia, dos quais doze contraíram a doença e acabaram por sucumbir.