Miguel Silva Gouveia procura entendimento com a aposição combater insegurança no Funchal

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, deu início às reuniões com todos os partidos representados em Assembleia Municipal, conforme já tinha sido anunciado, no sentido de abordar a crescente perceção de insegurança que se tem vindo a verificar na cidade ao longo dos últimos meses, desencadeada por várias ocorrências criminais, como furtos, ameaças à integridade física e atos de vandalismo. O autarca já reuniu, desde ontem, na companhia do Vereador João Pedro Vieira, que tem o pelouro da Fiscalização Municipal, com os deputados municipais Gonçalo Pimenta, do CDS, Herlanda Amado, da CDU, e Raquel Coelho, do PTP, no sentido de “transmitir a preocupação da Autarquia com a situação vigente e de reiterar que a Câmara Municipal do Funchal não pode admitir que este tipo de situações continue a ocorrer e que seja posta em causa a paz social e a segurança que sempre notabilizaram uma cidade como o Funchal." Miguel Silva Gouveia reiterou, nas diversas reuniões mantidas com os partidos, que "a Câmara Municipal do Funchal vai liderar politicamente o combate ao vandalismo, à criminalidade e à insegurança na cidade, o que implica criar uma plataforma de articulação entre todas as entidades envolvidas, respeitando as competências de cada uma delas” e reafirmou "o empenho para que se ultrapasse a falta de coordenação entre entidades que, no entender da CMF, tem condicionado a maneira de encarar o problema e de agir sobre ele." No decurso dos encontros, "foram igualmente discutidas novas soluções, ferramentas e medidas que a CMF está a avaliar, no sentido de reforçar aquela que se pretende seja uma capacidade de resposta alargada a vários níveis.” O presidente conclui que, à luz da situação atual, "é determinante chegar a um entendimento alargado com todos os partidos que compõem a Assembleia Municipal do Funchal, de modo a aplicar no concelho soluções que sejam eficazes e o mais consensuais possíveis, de forma a restituir condições de segurança condignas para a população, para os nossos comerciantes e para todos aqueles que nos visitam, conforme sempre foi realidade no Funchal ao longo dos anos. É por isso que tivemos a iniciativa de reunir com todos os partidos representados na Assembleia Municipal, o que continuaremos a fazer na próxima semana, conscientes de que o contexto atual da cidade assim o exige."

Miguel Silva Gouveia procura entendimento com a aposição combater insegurança no Funchal
O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, deu início às reuniões com todos os partidos representados em Assembleia Municipal, conforme já tinha sido anunciado, no sentido de abordar a crescente perceção de insegurança que se tem vindo a verificar na cidade ao longo dos últimos meses, desencadeada por várias ocorrências criminais, como furtos, ameaças à integridade física e atos de vandalismo. O autarca já reuniu, desde ontem, na companhia do Vereador João Pedro Vieira, que tem o pelouro da Fiscalização Municipal, com os deputados municipais Gonçalo Pimenta, do CDS, Herlanda Amado, da CDU, e Raquel Coelho, do PTP, no sentido de “transmitir a preocupação da Autarquia com a situação vigente e de reiterar que a Câmara Municipal do Funchal não pode admitir que este tipo de situações continue a ocorrer e que seja posta em causa a paz social e a segurança que sempre notabilizaram uma cidade como o Funchal." Miguel Silva Gouveia reiterou, nas diversas reuniões mantidas com os partidos, que "a Câmara Municipal do Funchal vai liderar politicamente o combate ao vandalismo, à criminalidade e à insegurança na cidade, o que implica criar uma plataforma de articulação entre todas as entidades envolvidas, respeitando as competências de cada uma delas” e reafirmou "o empenho para que se ultrapasse a falta de coordenação entre entidades que, no entender da CMF, tem condicionado a maneira de encarar o problema e de agir sobre ele." No decurso dos encontros, "foram igualmente discutidas novas soluções, ferramentas e medidas que a CMF está a avaliar, no sentido de reforçar aquela que se pretende seja uma capacidade de resposta alargada a vários níveis.” O presidente conclui que, à luz da situação atual, "é determinante chegar a um entendimento alargado com todos os partidos que compõem a Assembleia Municipal do Funchal, de modo a aplicar no concelho soluções que sejam eficazes e o mais consensuais possíveis, de forma a restituir condições de segurança condignas para a população, para os nossos comerciantes e para todos aqueles que nos visitam, conforme sempre foi realidade no Funchal ao longo dos anos. É por isso que tivemos a iniciativa de reunir com todos os partidos representados na Assembleia Municipal, o que continuaremos a fazer na próxima semana, conscientes de que o contexto atual da cidade assim o exige."