Miguel Sousa venceu primeira prova automobilística de 2020

O piloto do protótipo foi o mais rápido na rampa da Ponta de Sol, este sábado disputada e que marcou o arranque das provas automobilísticas na Região. O Troféu Regional de Rampas AMAK 2020 tem oito provas que vão ser disputadas ao longo do...

Miguel Sousa venceu primeira prova automobilística de 2020
O piloto do protótipo foi o mais rápido na rampa da Ponta de Sol, este sábado disputada e que marcou o arranque das provas automobilísticas na Região. O Troféu Regional de Rampas AMAK 2020 tem oito provas que vão ser disputadas ao longo do ano. A prova organizada pelo Clube Desportivo Nacional teve como grande vencedor Miguel Sousa, ao volante de Semog Bravo Sport, com 6:52,949, o melhor tempo que foi acumulado nas duas melhores subidas efetuados pelos piloto. Pedro Canha e Marco Leça, Fiat 217, foi a dupla vencedora nos históricos. No percurso de 5,85 km, situado na zona dos Canhas, o segundo lugar acabou por ser atribuído a José Romero, num Semog Troféu, enquanto o terceiro foi António Giestas a apenas um 0,1 segundos do segundo lugar e a 4,5 do vencedor. Ainda no top cinco, o quarto lugar foi para Dinarte Nóbrega (Semog Bravo ER), enquanto o quinto lugar foi conquistado para Greg Faria. Destaque para os seis primeiros seis lugares que foram ocupados por carros protótipos.  A primeira edição de uma rampa contou com uma lista de 30 inscritos O melhor tempo da primeira subida não oficial (treinos) coube a Dinarte Nóbrega, que realizou os 5,85 kms do percurso em 3:36, 296. António Giestas (BRC CM) gastou mais 2,5, enquanto Gil Freitas era 6,5 mais lento do que o melhor tempo. Na segunda subida, igualmente de preparação, Nélson Andrade fez o melhor tempo, situando o ‘crono’ nos 3:29,735. António Giestas voltou a melhorar o tempo, mas apenas conseguiu ser 1,6 segundos mais lento do que Nélson Andrade. Já a sério, nas subidas oficiais, Miguel Sousa fez o melhor tempo na terceira subida, colocando o cronometro nos 3:27,995, melhorando o melhor tempo em quase dois segundos. Os tempos pioraram na quarta subida e voltaram a melhorar na quinta subida, novamente com Miguel Sousa a realizar o melhor tempo, agora com 3:24,954, que acumulado com a terceira subida lhe dava a liderança a uma subida do final da prova. À entrada da última subida, o piloto de Semog Bravo Sport tinha a liderança ‘pendurada’ por 4,354 segundos para José Romero e 7,466 segundos para António Giestas, respetivamente segundo e terceiro. Curiosamente os campeão de 2018 (Dinarte Nóbrega) e de 2019 (Nélson Andrade) não estavam nos três primeiros lugares do pódio. Miguel Sousa acabou por ser o grande vencedor da prova,  apesar de ter feito só o quarto tempo, na última subida em que António Giestas venceu.