Mulher fez topless dentro de casa e pode vir a ser registada como agressora sexual

Uma mulher do Utah, nos EUA, está em tribunal por ter sido vista em 'topless' pelo enteado na sua própria casa e pode mesmo vir a ser registada como uma agressora sexual, de acordo com o Correio da Manhã.  A mulher, Tilli Buchanan, surgiu em...

Mulher fez topless dentro de casa e pode vir a ser registada como agressora sexual
Uma mulher do Utah, nos EUA, está em tribunal por ter sido vista em 'topless' pelo enteado na sua própria casa e pode mesmo vir a ser registada como uma agressora sexual, de acordo com o Correio da Manhã.  A mulher, Tilli Buchanan, surgiu em peito nu frente a duas crianças, de 9 e 13 anos. Os advogados referem que a mulher "se considera uma feminista e que queria provar que toda a gente devia sentir-se confortável em andar pela casa ou noutro sítio qualquer com pele à mostra". Foi alvo, em fevereiro, de três acusações de comportamento lascivo relativamente à criança que não é seu filho. A queixa partiu da mãe do menino, refere a mesma fonte. Tilli Buchanan está a tentar combater a acusação citando um acórdão que acabou com a proibição do topless no estado do Colorado. O advogado da mulher diz que a lei é injusta porque trata as mulheres e os homens de forma diferente relativamente à possibilidade de andarem de tronco nu. O advogado pede mesmo que o juiz desconsidere a acusação e julgue a lei inconstitucional. Os procuradores contrapõem, referindo que nos EUA a nudez inclui o peito da mulher e que mostrá-lo é uma ofensa à moral. A juiza ouviu os argumentos na terça-feira, mas disse que era um assunto "demasiado importante" para tomar uma decisão logo ali e que tiraria uns meses para decidir.  "Eu estava na privacidade da minha própria casa. O meu marido estava ao pé de mim nos mesmos preparos que eu e não está a ser acusado", disse a mulher depois de ter sido ouvida pelo tribunal.  A ser condenada, a mulher pode vir a ter de se registar como uma agressora sexual durante um período de 10 anos. A possibilidade de as mulheres mostrarem os mamilos tem sido defendida pelo movimento Free The Nipple (Libertem o mamilo).