No último dia de aulas, escolas estão a funcionar dentro da normalidade

Nesta sexta-feira, último dia de aulas, antes do encerramento das escolas, que acontece já a partir da próxima segunda-feira, a afluência dos alunos às aulas está a decorrer dentro da normalidade. Contactadas pelo JM, a maioria das escolas secundárias, não só do Funchal mas também de outros concelhos vizinhos, não notaram menos alunos nos recintos e nas aulas. Algumas até confirmaram que sabem que já há a alunos a faltar às aulas mas não sentem diferença em termos globais. "Tudo decorre dentro da normalidade", disse.-nos um diretor de um conselho executivo de uma escola secundária do Funchal. Também a esmagadora maioria das creches e infantários estavam esta manhã a funcionar dentro daquilo que consideram "normal". Isto é, as crianças, mesmo as mais pequenas foram para a escola.  "Os pais têm de trabalhar e de se organizar antes do encerramento das escolas, é normal que aproveitem o dia de hoje para fazê-lo", explicou uma educadora de infância ao nosso jornal.

No último dia de aulas, escolas estão a funcionar dentro da normalidade
Nesta sexta-feira, último dia de aulas, antes do encerramento das escolas, que acontece já a partir da próxima segunda-feira, a afluência dos alunos às aulas está a decorrer dentro da normalidade. Contactadas pelo JM, a maioria das escolas secundárias, não só do Funchal mas também de outros concelhos vizinhos, não notaram menos alunos nos recintos e nas aulas. Algumas até confirmaram que sabem que já há a alunos a faltar às aulas mas não sentem diferença em termos globais. "Tudo decorre dentro da normalidade", disse.-nos um diretor de um conselho executivo de uma escola secundária do Funchal. Também a esmagadora maioria das creches e infantários estavam esta manhã a funcionar dentro daquilo que consideram "normal". Isto é, as crianças, mesmo as mais pequenas foram para a escola.  "Os pais têm de trabalhar e de se organizar antes do encerramento das escolas, é normal que aproveitem o dia de hoje para fazê-lo", explicou uma educadora de infância ao nosso jornal.