Notícia JM: ANIMAD pede intervenção do Bispo do Funchal no abandono de cães no Monte

A ANIMAD enviou uma nota a D. Nuno Brás, a requerer a intervenção do Bispo do Funchal no caso do abandono de cães por parte do pároco do Monte, Vítor de Sousa. Eis a transcrição integral da nota enviada pela ANIMAD: "A Associação ANIMAD tem...

Notícia JM: ANIMAD pede intervenção do Bispo do Funchal no abandono de cães no Monte
A ANIMAD enviou uma nota a D. Nuno Brás, a requerer a intervenção do Bispo do Funchal no caso do abandono de cães por parte do pároco do Monte, Vítor de Sousa. Eis a transcrição integral da nota enviada pela ANIMAD: "A Associação ANIMAD tem seguido a situação dos cães do Monte e já fez chegar, para além da denúncia à SEPNA, a sua posição e opinião ao Paço Episcopal. Sendo uma associação que trabalha arduamente no terreno na sensibilização e na mudança de mentalidades, é com repugnância que vê toda esta situação. Deveriam ser os padres, as paroquias os grandes impulsionadores das mudanças de mentalidades em relação ao abandono dos animais e aos maus tratos. É lamentável que esteja a acontecer uma situação destas, em pleno século XXI, nesta Ilha, ainda mais, proveniente de uma entidade que deveria à partida dar o exemplo a uma sociedade. Todos nós seguimos o caso do padre Giselo e a forma como teve que abandonar a sua paroquia injustamente. Temos informação verídica de que, mesmo longe, o padre Giselo sempre se preocupou com os cães e tinha alguém lá, que os alimentava. É inadmissível que um pároco de uma paroquia, diga que não tem qualquer responsabilidade moral perante os animais. Com isto tipo de atitude, nem moral deverá ter para com os seus crentes. A sensibilidade e o amor pelos animais, deverão fazer parte do Humano. Se não existe essa responsabilidade perante um sere vivo que sofre por parte do Sr. Padre Vitor Sousa, então a sensibilidade para com o Humano, deverá ser, infelizmente, idêntica. A Associação ANIMAD solicita a intervenção do Exmo Sr. Bispo D. Nuno Brás nesta situação de modo a devolver os cães ao espaço da paroquia e não a um canil. Seria uma atitude digna de sensibilidade numa ilha que luta contra os maus tratos, abandonos e pela falta de espaço para os animais abandonados. A ANIMAD responsabiliza-se perante o Paço Episcopal para com a alimentação e cuidados dos animais. Aguardaremos esta atitude nobre da Igreja da Madeira", lê-se na nota assinada pela presidente da ANIMAD, Natália Vieira.