Número de enfermeiros no SESARAM "é o mesmo que existia há uma década", diz CDS

O número atual de enfermeiros existentes no Serviço Regional de Saúde (SESARAM) "é o mesmo que existia há uma década, isto apesar de se registar um aumento da procura da oferta de cuidados de saúde", afirmou esta sexta-feira o deputado e médico...

Número de enfermeiros no SESARAM
O número atual de enfermeiros existentes no Serviço Regional de Saúde (SESARAM) "é o mesmo que existia há uma década, isto apesar de se registar um aumento da procura da oferta de cuidados de saúde", afirmou esta sexta-feira o deputado e médico Mário Pereira, no final de uma reunião com o presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Juan Carvalho, encontro que contou com a presença dos candidatos à Assembleia Legislativa da Madeira, Ana Cristina Monteiro e António Lopes da Fonseca.  A contratação de mais enfermeiros e o descongelamento das carreiras foram dois dos temas debatidos neste encontro de trabalho, tendo o parlamentar considerado "positiva" a cedência do Governo Regional a estas duas velhas reivindicações da classe.  "A saúde é uma luta que o CDS tem desenvolvido, de forma consciente coerente, há oito anos", começou por referir Mário Pereira. "Verificamos que ao fim deste tempo o Governo Regional concordou com muitas das nossas posições e isso é importante para o exercício da carreira de enfermagem, porque os enfermeiros, entre outros, são o garante da qualidade dos cuidados e saúde." O parlamentar e candidato às eleições de 22 de setembro explicou aos enfermeiros as propostas do CDS para a saúde: "É preciso oferecer à população mais cirurgias, quer no público, quer contratualizando com o privado, para diminuir as listas de espera. É preciso que os doentes não esperem por exames criando um mecanismo que passado o tempo razoável para a realização dos exames, se o setor público não der resposta, o doente possa recorrer aos privado. E é preciso mudar o paradigma de gestão da saúde que está muito centrado no hospital e esquece os centros de saúde que são fundamentais para a prevenção das doenças. Miguel Albuquerque esqueceu-se dos cuidados primários de saúde, esqueceu-se da prevenção da doença e da promoção da saúde. É preciso inverter este paradigma na próxima legislatura." O CDS refere ainda que a transparência no Serviço Regional de Saúde é outra das bandeiras do partido: "Premiar o mérito e o respeito por todos os profissionais porque há hoje em dia quem se julgue dono do Serviço Regional de Saúde, dono do hospital e dono dos centros de saúde, e esquecem-se de que estão lá para unicamente prestar cuidados de saúde à população."