Nuno Manta procura vitória para inverter série negativa do Marítimo

O  treinador do Marítimo, Nuno Manta, disse hoje ambicionar vencer na deslocação a Paços de Ferreira, no sábado, para a quarta jornada da I Liga portuguesa de futebol, e inverter a sequência negativa de resultados. Os madeirenses estão no penúltimo...

Nuno Manta procura vitória para inverter série negativa do Marítimo
O  treinador do Marítimo, Nuno Manta, disse hoje ambicionar vencer na deslocação a Paços de Ferreira, no sábado, para a quarta jornada da I Liga portuguesa de futebol, e inverter a sequência negativa de resultados. Os madeirenses estão no penúltimo lugar, com apenas um ponto, e vêm de dois desaires consecutivos, uma situação que carece ser retificada, embora sem mudar os princípios de jogo, de acordo com o técnico, diante da ‘turma’ pacense, um adversário "difícil" e que será exigente. "A maneira de dar a volta é sempre de ganhar. É ótima a pressão de ganhar, mas temos todos de saber viver com essa pressão, respeitar o adversário, sermos humildes e competentes no que estamos a fazer", afirmou o técnico, na conferência de imprensa de antevisão, garantindo que "competência, atitude e empenho não tem faltado" nos treinos. Nuno Manta acrescentou que não vai mudar a "filosofia de pensar e de treinar" por causa das derrotas e mantém a crença no processo que está a ser desenvolvido no grupo de trabalho. "Eu acredito que, mesmo que tivéssemos ganhado os três jogos, estávamos a ser pressionados para ganhar o próximo. Isso é o futebol, é a nossa profissão. A pressão é diária, em todos os jogos, sempre para ganhar e é essa a mentalidade que temos de ter", referiu. A derrota na ronda anterior, frente ao Tondela, por 3-2, nos Barreiros também mereceu um "recado" por parte de Nuno Manta, direcionado aos adeptos, a quem tinha pedido "paciência" na antevisão. "Com três minutos de jogo, um atleta erra um passe e é assobiado e leva ‘bocas' da bancada. Não ajuda em nada. Não só a ele como aos outros, porque todos ficam receosos em ter a bola, de jogar para a frente e de arriscar. Acho que não são adeptos para ajudarem a equipa", comentou. A poucos dias do fecho do ‘mercado’ de transferências, o treinador maritimista considera o assunto "interno", voltando a frisar as opções existentes nas formações secundárias, e culminou com a garantia de que gosta "muito dos jogadores" que tem. Marítimo e Paços de Ferreira, 17.º e 18.º classificados, respetivamente, ambos com um ponto, defrontam-se no sábado, com o apito inicial marcado para as 16:30.