Obras de beneficiação no Convento de Santa Clara custam 1,2 milhões

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visita amanhã, pelas 10h45 horas, as obras em curso de “Beneficiação Global da Igreja e Convento de Santa Clara”. Esta primeira fase incide na reabilitação e restauro do Convento de Santa...

Obras de beneficiação no Convento de Santa Clara custam 1,2 milhões
O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visita amanhã, pelas 10h45 horas, as obras em curso de “Beneficiação Global da Igreja e Convento de Santa Clara”. Esta primeira fase incide na reabilitação e restauro do Convento de Santa Clara, visando a beneficiação global da infraestrutura, nomeadamente no que à recuperação das áreas visitáveis (igreja, coro alto e antecâmaras, futuras salas de exposição, capelas, futura área de reserva, claustro e portaria) diz respeito. Note-se que este é o único convento do século XV da Região (as suas obras iniciaram-se em 1492), sendo uma das casas religiosas mais importantes a nível nacional, à época e contém, no seu espólio pinturas, esculturas, azulejos, talha, mobiliário, elementos construtivos e decorativos únicos. A segunda fase dos trabalhos irá incidir na conservação e restauro do património artístico, móvel e integrado, do qual se destacam as pinturas, esculturas, talhas e azulejaria, tendo por base o caderno de encargos desenvolvido pelos técnicos do Laboratório José de Figueiredo e do Museu Nacional do Azulejo, da Direcção-Geral do Património Cultural. Uma fase que decorrerá junto com a primeira. Na terceira fase, a intervenção a efetuar consistirá na própria acessibilidade ao convento, dotando o edifício de um percurso visitável. Aliás, no final das obras, as áreas visitáveis e de acesso do Convento de Santa Clara serão duplicadas. Nesta fase, será dada particular atenção aos detalhes arquitetónicos e ao acervo, incluindo o que não está, por ora, visível. Acresce referir que o Governo Regional pretende ainda que este imóvel faça parte integrante de um roteiro cultural e turístico do Funchal e da própria Região. Para esse efeito, será produzido material gráfico e desenvolvido um plano de comunicação. A empreitada está orçada em 1,2 milhões de euros.