Oposição não acredita nos 50% de energia renovável

Nesse propósito de “reduzir a energia adquirida” e potenciar o “autoconsumo”, Rui Barreto elege como ponto de honra do Governo Regional “elevar os valores de incentivos”, denotando convicção que é possível chegar aos 50% muito em breve. Rafael Nunes foi ao palanque contestar os números apresentados pelo secretário regional da Economia, assegurando que “os 50% de produção não serão atingidos este ano”, garantindo que por estas alturas estará apenas nos 30%. O deputado do JPP criticou ainda a compra de autocarros a gasóleo por parte da Horários do Funchal, entre outros exemplos que considera contraditórios entre o que o Governo Regional anuncia e exercerá na prática. Sílvia Silva, deputado do PS, também consta as práticas do Executivo madeirense. “De acordo com dado com a EEM, em novembro de 2019, apenas havia 24% de energia renovável”, disse a socialista, que também não acredita que a meta estabelecida para este ano, de “reduzir a dependência energética para 50%”, seja concretizável. Pelo PSD, falou Rafael Carvalho, louvando o empenho da Região em se “impor na vanguarda da produção de energias renováveis”, daí resultando, ainda, “novas empresas e mais emprego”, registando as capacidades naturais da Região que constituem vantagens nessa produção, como seja “a exposição solar”.

Oposição não acredita nos 50% de energia renovável
Nesse propósito de “reduzir a energia adquirida” e potenciar o “autoconsumo”, Rui Barreto elege como ponto de honra do Governo Regional “elevar os valores de incentivos”, denotando convicção que é possível chegar aos 50% muito em breve. Rafael Nunes foi ao palanque contestar os números apresentados pelo secretário regional da Economia, assegurando que “os 50% de produção não serão atingidos este ano”, garantindo que por estas alturas estará apenas nos 30%. O deputado do JPP criticou ainda a compra de autocarros a gasóleo por parte da Horários do Funchal, entre outros exemplos que considera contraditórios entre o que o Governo Regional anuncia e exercerá na prática. Sílvia Silva, deputado do PS, também consta as práticas do Executivo madeirense. “De acordo com dado com a EEM, em novembro de 2019, apenas havia 24% de energia renovável”, disse a socialista, que também não acredita que a meta estabelecida para este ano, de “reduzir a dependência energética para 50%”, seja concretizável. Pelo PSD, falou Rafael Carvalho, louvando o empenho da Região em se “impor na vanguarda da produção de energias renováveis”, daí resultando, ainda, “novas empresas e mais emprego”, registando as capacidades naturais da Região que constituem vantagens nessa produção, como seja “a exposição solar”.