Papa abre palácio no Vaticano aos sem-abrigo

O Papa Francisco mandou renovar um palácio no coração do Vaticano, adaptando-o para estar ao serviço dos sem-abrigo de Roma. O Palazzo Migliori foi construído no início do Século XIX e ao longo das últimas décadas foi utilizado por uma ordem...

Papa abre palácio no Vaticano aos sem-abrigo
O Papa Francisco mandou renovar um palácio no coração do Vaticano, adaptando-o para estar ao serviço dos sem-abrigo de Roma. O Palazzo Migliori foi construído no início do Século XIX e ao longo das últimas décadas foi utilizado por uma ordem religiosa feminina que cuidava de jovens mães solteiras, tendo sido renovado em 2019, aquando da saída da ordem. Especulou-se sobre a possibilidade de o transformar num hotel de luxo, bem perto da Praça de São Pedro, mas o Papa deu ordens explícitas ao esmoler do Vaticano, o cardeal Konrad Krajewski, que supervisionasse a adaptação do palácio para uso dos sem-abrigo da capital. O projeto foi entregue à Comunidade de Sant’Egídio e tem capacidade para acolher até 50 pessoas, às quais é dada cama, roupa lavada e comida. Nas salas inferiores realizam-se ações de formação e de prestação de serviços práticos, nomeadamente utilização de computadores e aconselhamento psicológico. “Aqui sinto-me mais em casa. Tenho a minha própria cama, quarto e casa de banho. É muito diferente dos dormitórios onde tenho ido até agora, onde por vezes nos sentimos como animais num estábulo sobrelotado”, disse Mario Brezza ao jornal australiano NBC News, de acordo com o Sapo. Andrea Riccardi, fundador da Comunidade de Sant’Egidio realçou o princípio do gesto. “O importante é que aqui estamos diante do Vaticano, estamos no coração do Papa, os pobres têm um lar diante do Papa”, afirmou Andrea Riccardi, citado pela mesma fonte, garantindo ainda que a comunidade tem todo o gosto em colaborar com a Santa Sé neste trabalho. O Papa tem como uma das suas prioridades os pobres e sem-abrigo, tendo adotado medidas como a instalação de duches nas casas de banho públicas do Vaticano, para uso de pobres, e a inauguração de uma lavandaria pública e de uma barbearia. Deu ainda ordem para que um sem-abrigo que morreu na rua fosse sepultado num cemitério que geralmente é reservado para altos funcionários da Santa Sé. O Papa tem também o hábito de tomar refeições com os pobres e sem-abrigo com alguma regularidade.