PCP apresenta proposta para a valorização dos salários na Região Autónoma da Madeira

O deputado do PCP, Ricardo Lume, entregou hoje na ALRAM uma iniciativa legislativa que procura defender a valorização dos salários na Região Autónoma da Madeira,  Partindo de uma análise da evolução da distribuição da riqueza no país e na Região, o PCP conclui que "é reveladora de uma profunda injustiça social", considerando que "56% da riqueza total está nas mãos de 1% da população portuguesa, sendo que a fortuna que é acumulada pelos 50 mais ricos em Portugal equivale a 12% do PIB". Perante este quadro, o PCP defende a necessidade de "um aumento geral dos salários, assim como a necessidade de garantir o aumento do salário mínimo nacional para 850€ já em janeiro de 2021, como também se justifica na Região Autónoma da Madeira garantir a valorização dos salários". De acordo com as contas do partido, na Região "o salário médio é de 918€, quando o salário médio a nível nacional é de 1310€, ou seja, em média um trabalhador na nossa Região aufere menos 392€ de salário". Na proposta apresentada na ALRAM pelo deputado Ricardo Lume, o PCP "considera fundamental que a Região Autónoma da Madeira, tendo em conta a actual situação social e económica, fixe um acréscimo regional de 5% à Retribuição Mínima Mensal Garantida Nacional, o que se afigura como sendo possível, devendo, a curto prazo, evoluir para um valor que atinja os 7,5%, correspondendo assim a uma solução para a compensação dos actuais custos da insularidade e a objectivos de solidariedade e de justiça social."        

PCP apresenta proposta para a valorização dos salários na Região Autónoma da Madeira
O deputado do PCP, Ricardo Lume, entregou hoje na ALRAM uma iniciativa legislativa que procura defender a valorização dos salários na Região Autónoma da Madeira,  Partindo de uma análise da evolução da distribuição da riqueza no país e na Região, o PCP conclui que "é reveladora de uma profunda injustiça social", considerando que "56% da riqueza total está nas mãos de 1% da população portuguesa, sendo que a fortuna que é acumulada pelos 50 mais ricos em Portugal equivale a 12% do PIB". Perante este quadro, o PCP defende a necessidade de "um aumento geral dos salários, assim como a necessidade de garantir o aumento do salário mínimo nacional para 850€ já em janeiro de 2021, como também se justifica na Região Autónoma da Madeira garantir a valorização dos salários". De acordo com as contas do partido, na Região "o salário médio é de 918€, quando o salário médio a nível nacional é de 1310€, ou seja, em média um trabalhador na nossa Região aufere menos 392€ de salário". Na proposta apresentada na ALRAM pelo deputado Ricardo Lume, o PCP "considera fundamental que a Região Autónoma da Madeira, tendo em conta a actual situação social e económica, fixe um acréscimo regional de 5% à Retribuição Mínima Mensal Garantida Nacional, o que se afigura como sendo possível, devendo, a curto prazo, evoluir para um valor que atinja os 7,5%, correspondendo assim a uma solução para a compensação dos actuais custos da insularidade e a objectivos de solidariedade e de justiça social."