PCP diz que são precisas "mais medidas de fundo para uma política de transportes"

Os obstáculos colocados pelos governantes ao direito à mobilidade foram as principais questões colocadas ao coordenador regional do PCP, esta manhã, durante a iniciativa realizada nos Álamos, no Funchal. Naquele sítio, Edgar Silva disse que...

PCP diz que são precisas "mais medidas de fundo para uma política de transportes"
Os obstáculos colocados pelos governantes ao direito à mobilidade foram as principais questões colocadas ao coordenador regional do PCP, esta manhã, durante a iniciativa realizada nos Álamos, no Funchal. Naquele sítio, Edgar Silva disse que "as populações estão confrontadas com insuficiências e limitações impostas pelos governantes que obstaculizam o justo direito à mobilidade dos cidadãos no interior do território. Não só é insuficiente a oferta de transportes públicos, como da falta de uma correcta política de planeamento o trânsito automóvel se está a tornar uma situação infernal para quem vive no Funchal ou para quem diariamente precisa de entrar na cidade do Funchal". Sobre os problemas concretos que mais tocam negativamente o dia a dia das populações, Edgar Silva salientou que, "a par dos repetidos lugares de condicionamento do movimento de automóveis, a crescente falta de soluções para estacionamento automóvel na cidade e os custos agravados associados ao parqueamento, criam novos processos de limitação da mobilidade que estão a infernizar a vida de tanta gente", Para o PCP, "ao contrário da propaganda governamental, cada vez mais se justificam medidas de fundo para «uma política de transportes, componente estruturante para a vida colectiva, sendo cada vez mais necessário mobilizar os cidadãos para a exigência de aumentar e requalificar a oferta pública de transportes públicos, para mais e melhor mobilidade, como condições para alterar os obstáculos que o trânsito automóvel estão a colocar à qualidade de vida na cidade".