PDR alerta para a situação precária dos assistentes operacionais

O Partido Democrático Republicano esteve esta manhã junto ao Hospital Dr. Nélio Mendonça para alertar para a situação precária dos assistentes operacionais. "Estes funcionários são essenciais para a gestão dos serviços de saúde e não só. Todos...

PDR alerta para a situação precária dos assistentes operacionais
O Partido Democrático Republicano esteve esta manhã junto ao Hospital Dr. Nélio Mendonça para alertar para a situação precária dos assistentes operacionais. "Estes funcionários são essenciais para a gestão dos serviços de saúde e não só. Todos os assistentes operacionais, nas escolas, nos centros de saúde, nas instituições sociais, são fundamentais para a execução dos trabalhos", afirmou Filipe Rebelo. "As tarefas que estes profissionais desempenham não são tarefas menores, mas são tarefas muito mal pagas. Já sem contar com os horários absurdos que lhes são impostos", observou Filipe Rebelo, acrescentando que é preciso "dar dignidade a estes profissionais e o devido reconhecimento". Uma dignificação que se exige para todos os profissionais na área da saúde, técnicos, enfermeiros, médicos, etc. Junto ao hospital, o PDR não esqueceu alguma má gestão no Serviço Regional de Saúde da Madeira, com consultas e cirurgias em listas de espera por meses e até anos, com falta de medicamentos e outros materiais, com equipamentos avariados durante meses e que levam os utentes ao serviço privado. "Muitos doentes não fazem os exames porque não têm dinheiro para recorrer aos privados. Em muitos casos ainda é preciso adiantar dinheiro que as famílias não têm". Sendo a saúde um direito fundamental da população, Filipe Rebelo não entende as 'capelinhas' entre os vários partidos políticos e pede uma ação concertada. "É só ver o caso do novo hospital. Há décadas em análise e ainda se discute a construção, os apoios... a saúde não deve ser uma arma política, mas infelizmente é isso que temos visto ao longo dos últimos anos". Na ação política desta manhã, o PDR procurou ouvir junto dos utentes do serviço regional de saúde algumas sugestões para a melhoria dos serviços. "A mudança política na Região faz-se com todos", repetiu o cabeça-de-lista às regionais de 22 de setembro. "E quem melhor para apontar o que está errado e as melhorias necessárias que aqueles que precisam de utilizar estes serviços", vincou. De referir ainda que a questão do estacionamento no hospital, um antigo 'elefante branco', voltou à baila.