PDR quer melhores condições na pesca e na habitação em Câmara de Lobos

A candidatura do PDR às regionais da Madeira foi hoje a Câmara de Lobos defender melhores condições para os pescadores e medidas para melhorar a habitação e acabar com o estigma da pobreza no concelho, disse o cabeça de lista. “O PDR veio a...

PDR quer melhores condições na pesca e na habitação em Câmara de Lobos
A candidatura do PDR às regionais da Madeira foi hoje a Câmara de Lobos defender melhores condições para os pescadores e medidas para melhorar a habitação e acabar com o estigma da pobreza no concelho, disse o cabeça de lista. “O PDR veio a Câmara de Lobos relembrar as questões piscatórias de que tanto falaram nas europeias”, declarou Filipe Rebelo, numa ação de campanha. O candidato indicou que foram cometidos “atentados ambientais” como a construção da lota no centro do Funchal e lamentou que faltem apoios para dar condições às frotas, além de reivindicar melhorias no cais de Câmara de Lobos, para onde estavam previstas obras que ainda não se realizaram. “Fazemos hotéis, mas temos de criar condições para que os pescadores tenham tudo o que seja em prol da população, nomeadamente as infraestruturas. Sem infraestruturas não fazemos nada”, adiantou. Naquele que é “o concelho com mais habitação social” na região -, Filipe Rebelo quis também chamar a atenção para os problemas da habitação, defendendo a construção “a custos controlados para as famílias que se estão a iniciar, para os jovens, dentro da sua taxa de esforço”. O problema da falta de habitação, argumentou, afeta a natalidade e não se resolve “dando subsídios”: “Falamos tanto da taxa de natalidade, mas isto é um puzzle, porque sem habitação ninguém tem filhos”. O cabeça de lista do Partido Democrático Republicano às regionais de 22 de setembro sublinhou que “os políticos têm de incentivar a construção a custos controlados, com regras, com fiscalização”. Por outro lado, o partido entende que as pessoas têm de se habituar a cumprir com as suas obrigações, pagando o Imposto Municipal Sobre Imóveis – embora “o PDR seja contra” este imposto -, porque os incumprimentos acabam por “sufocar as autarquias e os institutos”. “O PDR tem transmitido à população que não podemos viver subsidiários. Temos de viver das novas capacidades para a economia”, sustentou. O candidato defendeu também hoje uma “descentralização, que tem de ser cada vez mais forte e uma aposta”, para que mais pessoas escolham residir em Câmara de Lobos. Filipe Rebelo considerou que o Funchal “está saturado em betão” na área habitacional e que muitas pessoas foram residir no concelho de Santa Cruz, a leste da maior cidade madeirense, enquanto “Câmara de Lobos está a dois minutos do Funchal” e “infraestruturas e boas condições”. “Acabou o paradigma de Câmara de Lobos ser xavelhas”, sublinhou, aludindo à alcunha dada aos naturais deste concelho que advém dos barcos de pesca coloridos. No seu entender, Câmara de Lobos é uma “capital” como outras cidades da região.