Pela primeira vez não houve festa nas ruas do centro do Funchal

As eleições legislativas da Madeira não acabaram, pela primeira vez, com bandeiras, música e gritos de vitória nas ruas do centro do Funchal. PSD, PS e CDS-PP foram os únicos que festejaram, mas fizeram-no "em casa". Foram para a porta das...

Pela primeira vez não houve festa nas ruas do centro do Funchal
As eleições legislativas da Madeira não acabaram, pela primeira vez, com bandeiras, música e gritos de vitória nas ruas do centro do Funchal. PSD, PS e CDS-PP foram os únicos que festejaram, mas fizeram-no "em casa". Foram para a porta das respetivas sedes fazer a festa, que foi curta, e dispersaram de seguida. Do lado dos sociais-democratas, ainda houve alguns militantes que deram uma volta de carro com as bandeiras de fora, mas apenas nas ruas junto à sede. A Avenida do Mar, uma das mais emblemáticas da cidade e tradicional palco desse tipo de manifestação, estava pelas 00:00 quase deserta. Na realidade, nenhum desses três partidos tinha reais motivos para festejar. Apesar de ter ganhado as eleições, com 39,42% dos votos, o PSD perdeu, pela primeira vez, a maioria absoluta, elegendo 21 dos 47 deputados. Terá agora de se juntar ao CDS-PP se não quiser governar com maioria relativa na Assembleia Legislativa Regional. Com 35,76% dos votos, o PS foi o único partido que conseguiu eleger mais deputados do que nas anteriores eleições, em 2015, passando de cinco para 19. O CDS-PP (5,76% dos votos) tinha sete deputados e vai passar a ter três, mas é o único partido com possibilidades de chegar ao Governo através de uma coligação com o PSD. Tradicionalmente, após as eleições legislativas, as principais ruas do centro do Funchal enchiam-se de cor de laranja para festejar a vitória do PSD. Há quatro anos, houve bandeiras, buzinas, foguetes e fogo de artifício. Este ano, guardaram-se os festejos para uma melhor ocasião.