Pelo menos 21 mortos em ataque de rebeldes ugandeses no nordeste da RDCongo

Pelo menos 21 pessoas morreram, incluindo dois menores, em vários ataques no território de Beni, nordeste da República Democrática do Congo (RDCongo), alegadamente realizado por rebeldes da milícia islâmica ugandesa Forças Democráticas Aliadas...

Pelo menos 21 mortos em ataque de rebeldes ugandeses no nordeste da RDCongo
Pelo menos 21 pessoas morreram, incluindo dois menores, em vários ataques no território de Beni, nordeste da República Democrática do Congo (RDCongo), alegadamente realizado por rebeldes da milícia islâmica ugandesa Forças Democráticas Aliadas (ADF, na siga inglesa). Os ataques terão ocorrido na noite de terça-feira, afirmou hoje a agência Efe, que cita o presidente da sociedade civil de Beni, que referiu que os confrontos terão tido lugar nas localidades de Oicha e Boikene. "Ontem [terça-feira] à noite, por volta das 19:00 [locais, menos duas em Lisboa], militantes das ADF irromperam em Boikene, onde mataram sete civis, enquanto que em Oisha foram encontrados outros 14 corpos, esta manhã", explicou Angelus Kavuthirwaki, por telefone. O responsável explicou que "algumas pessoas mencionam dois soldados bêbados das Forças Armadas Congolesas (FARDC) que começaram a disparar para o ar" e que "passados uns 45 minutos, ouviram-se fortes disparos". O porta-voz das FARDC, Mak Hazukay, confirmou à agência espanhola os ataques pelas ADF. "Estão em debandada e fugindo de (zonas próximas à) população civil, desde que a maioria das suas bases foram tomadas", disse o comandante Hazukay, sem adiantar números. Perante os recentes episódios de violência na região, em particular na província de Kivu-Norte, junto à fronteira com o Uganda, muitos jovens têm saído à rua, mostrando o seu descontentamento com os ataques de grupos armados. No final de outubro, o Exército da RDCongo lançou uma nova ofensiva contra as ADF e outros grupos armados rebeldes, que continuam fortalecidos apesar da presença da missão das Nações Unidas no país, a MONUSCO.