Pioneirismo do Orçamento Participativo do Funchal marcou a cidade pela positiva, diz PS

Paulo Cafôfo considera importante o continuar de políticas que promovam a participação ativa da sociedade e cidadania, dando conta do papel inovador do Orçamento Participativo no Funchal, um projeto de sucesso implementado pela Coligação Confiança. No âmbito do roteiro 'Fazer Diferente', que esta semana é dedicado ao tema Cidadania e Participação, Paulo Cafôfo juntou-se ao presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Miguel Silva Gouveia, na visita ao polidesportivo da Escola Ribeiro Domingos Dias. O equipamento ganhou recentemente uma cobertura após concorrer ao Orçamento Participativo do Funchal. Um exemplo de projeto que resulta o papel ativo da sociedade civil. Na ocasião, Paulo Cafôfo enalteceu o papel da CMF na promoção da democracia participativa e no papel de chamar à participação autárquica todos os munícipes em prol de um melhor Funchal. O presidente do PS Madeira sublinhou o facto de o Funchal ter sido pioneiro em toda a Região com o Orçamento Participativo, um marco que depois foi replicado por outras autarquias e copiado pelo Governo Regional, justamente quem no início criticou a medida. Para Paulo Cafôfo "quando se dá oportunidade à população de participar a democracia emerge e a cidadania torna-se ativa", vincando que "foi isso que aconteceu ao longo destes anos de governação da CMF". Referindo-se à Escola Ribeiro Domingos Dias, o presidente do PS Madeira assinala que estamos perante um bom exemplo de união entre a comunidade escolar e a freguesia para alcançar um objetivo, a cobertura do polidesportivo. Por sua vez, Miguel Silva Gouveia refere que "este investimento, superior a 200 mil euros na Escola Ribeiro Domingos Dias, acaba por encerrar em si dois grandes pilares estratégicos de desenvolvimento que a CMF procura dar à cidade do Funchal, o envolvimento dos cidadãos, a participação cívica e a democracia participativa e a equidade e justiça social, com forte investimento na educação, destacando que a educação é o principal "motor do elevador social". O presidente da CMF considera que este "é um exemplo da forma inclusiva de como todos podem contribuir para a construção da sua cidade e que, acima de tudo, passa a mensagem que vale a pena participar, vale a pena construir a sua cidade.

Pioneirismo do Orçamento Participativo do Funchal marcou a cidade pela positiva, diz PS
Paulo Cafôfo considera importante o continuar de políticas que promovam a participação ativa da sociedade e cidadania, dando conta do papel inovador do Orçamento Participativo no Funchal, um projeto de sucesso implementado pela Coligação Confiança. No âmbito do roteiro 'Fazer Diferente', que esta semana é dedicado ao tema Cidadania e Participação, Paulo Cafôfo juntou-se ao presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Miguel Silva Gouveia, na visita ao polidesportivo da Escola Ribeiro Domingos Dias. O equipamento ganhou recentemente uma cobertura após concorrer ao Orçamento Participativo do Funchal. Um exemplo de projeto que resulta o papel ativo da sociedade civil. Na ocasião, Paulo Cafôfo enalteceu o papel da CMF na promoção da democracia participativa e no papel de chamar à participação autárquica todos os munícipes em prol de um melhor Funchal. O presidente do PS Madeira sublinhou o facto de o Funchal ter sido pioneiro em toda a Região com o Orçamento Participativo, um marco que depois foi replicado por outras autarquias e copiado pelo Governo Regional, justamente quem no início criticou a medida. Para Paulo Cafôfo "quando se dá oportunidade à população de participar a democracia emerge e a cidadania torna-se ativa", vincando que "foi isso que aconteceu ao longo destes anos de governação da CMF". Referindo-se à Escola Ribeiro Domingos Dias, o presidente do PS Madeira assinala que estamos perante um bom exemplo de união entre a comunidade escolar e a freguesia para alcançar um objetivo, a cobertura do polidesportivo. Por sua vez, Miguel Silva Gouveia refere que "este investimento, superior a 200 mil euros na Escola Ribeiro Domingos Dias, acaba por encerrar em si dois grandes pilares estratégicos de desenvolvimento que a CMF procura dar à cidade do Funchal, o envolvimento dos cidadãos, a participação cívica e a democracia participativa e a equidade e justiça social, com forte investimento na educação, destacando que a educação é o principal "motor do elevador social". O presidente da CMF considera que este "é um exemplo da forma inclusiva de como todos podem contribuir para a construção da sua cidade e que, acima de tudo, passa a mensagem que vale a pena participar, vale a pena construir a sua cidade.