Pode estar a chegar à Madeira uma nova plataforma que poderá "fazer frente” à UBER

O núcleo da Madeira da Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME) levou a cabo, durante esta tarde, na praça de táxis junto ao Jardim Municipal do Funchal, uma iniciativa que visa denunciar “os problemas e ameaças”...

Pode estar a chegar à Madeira uma nova plataforma que poderá "fazer frente” à UBER
O núcleo da Madeira da Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME) levou a cabo, durante esta tarde, na praça de táxis junto ao Jardim Municipal do Funchal, uma iniciativa que visa denunciar “os problemas e ameaças” que recaem sobre o setor dos táxis na Região Autónoma da Madeira e onde avançaram que está para chegar, dentro de poucas semanas, uma nova plataforma que pretende “fazer frente” à UBER. “Poderá haver uma plataforma semelhante a chegar, a confederação já teve a informação que sim e que está para chegar em breve. E essa é mais uma das coisas que vamos apoiar visto que se é para apoiar o bem-estar dos taxistas, claro que vamos apoiar. Estamos aqui para isso” disse Paulo Ricardo Azevedo, diretor do núcleo regional da CPPME. Eusébio Gomes, ex-presidente da Assembleia da AITRAM (Associação dos Industriais de Táxi da Região Autónoma da Madeira) e motorista de táxis há 37 anos diz que juntaram-se à Confederação de forma a ter voz junto dos governantes. “Nós queremos revindicar, caso não seja feito o contingente da UBER. Se repararmos o consumo do continente derivado à orografia de lá e a nossa daqui, nos acabamos por pagar o dobro. E o que nos queremos é colocar os nossos preços junto com os da UBER, mas para baixar os preços precisamos de melhores preços em combustível e para isso achávamos que era excelente ser o do preço dos combustíveis dos barcos, para conseguirmos sobreviver”, expôs.