Polícia alemã analisa ADN de 900 homens para desvendar brutal homicídio com 23 anos

O caso da menina morta em maio de 1996 chocou a comunidade da cidade alemã de Grevenbroich, que agora revive o crime numa operação policial em larga escala. Isto porque as autoridades vão analisar o ADN de 900 homens, entre os 14 e os 70 anos...

Polícia alemã analisa ADN de 900 homens para desvendar brutal homicídio com 23 anos
O caso da menina morta em maio de 1996 chocou a comunidade da cidade alemã de Grevenbroich, que agora revive o crime numa operação policial em larga escala. Isto porque as autoridades vão analisar o ADN de 900 homens, entre os 14 e os 70 anos de idade, através da recolha de saliva. O objetivo é ter pistas sobre o homicida através do ADN que foi encontrado no corpo de Claudia Ruf, indica o JN. Segundo a Associated Press, citada pela mesma fonte, a polícia alemã já esclareceu, porém, que os 900 homens não são considerados suspeitos. A esperança das autoridades é que alguns dos homens cujo ADN vão recolher possam ser familiares do assassino, facilitando a descoberta do seu rasto. Além das convocatórias feitas porta a porta, a polícia reuniu no ínicio deste mês a comunidade junto à igreja de Grevenbroich e informou que iria acontecer um teste de ADN em grande escala. As análises estão ser feitas numa escola primária e segundo a imprensa local, o evento já formou filas à porta no domingo passado. Já em 2010, as autoridades tinham recolhido e analisado o ADN de 350 homens, que terão resultado em algumas pistas. A nova análise de ADN vêm na sequência destas informações. No entanto, a polícia alemã não confirma se os 350 homens fazem parte deste novo grupo. Recorde-se que Claudia Ruf, de 11 anos, desapareceu em maio de 1996 quando saiu de casa para passear o cão de um vizinho. O corpo foi encontrado a 70 quilómetros da cidade de Grevenbroich, em Euskirchen. A menina foi violada e estrangulada e o cadáver foi regado com gasolina e queimado. Durante meses, as autoridades procuraram sensibilizar a opinião pública para ter pistas sobre o autor do crime, mas de forma infrutífera.