Presidente da ALRAM defende programa para travar despovoamento do norte da Madeira

José Manuel Rodrigues defendeu hoje, na freguesia da Ilha, no concelho de Santana, um esforço conjunto em nome do combate à "desertificação populacional e ao desenvolvimento socioeconómico nos concelhos do norte da Madeira". "Esta é uma minha...

Presidente da ALRAM defende programa para travar despovoamento do norte da Madeira
José Manuel Rodrigues defendeu hoje, na freguesia da Ilha, no concelho de Santana, um esforço conjunto em nome do combate à "desertificação populacional e ao desenvolvimento socioeconómico nos concelhos do norte da Madeira". "Esta é uma minha preocupação de muitos anos que continuará muito presente nas funções que agora desempenho", disse o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira ao discursar no encerramento dos '25 anos da Semana Cultural da Ilha'. Como caminho propôs a elaboração de "um Programa para a Coesão Territorial da Região que afirme o Norte pela positiva, unindo nesse projeto o Estado, o Governo Regional, as câmaras, as associações de Desenvolvimento Local, as associações empresariais, as Instituições de Solidariedade Social, as escolas, as paróquias, as casas do Povo, numa missão de valorização dos seus recursos associados ao Ambiente, à Agricultura e ao Turismo". Segundo José Manuel Rodrigues, é necessário que o "Estado e a Região mantenham serviços públicos de qualidade nestas zonas e que o Governo Regional trabalhe na redução de custos de contexto, naturalmente superiores aos praticados no Sul, para atrair investimento privado para estas zonas e que possa apoiar mais as empresas que aqui laboram ou que aqui venham a se instalar". Fazendo alusão a medidas do programa do Governo, que espera venham a surtir "bons resultados", disse que "importa, ainda, que o Município e o Governo lancem medidas de apoio ao retorno dos jovens emigrados às suas origens, concedendo-lhes condições para aqui construírem as suas residências, terem emprego e aqui fazerem a sua vida." "Urge que o Norte deixe de ser o melhor local de passagem para os madeirenses e para os turistas, e daí a necessidade de incentivar a criação de pacotes mistos com dias de férias no Sul e no Norte para o aparecimento de novas unidades de agroturismo, pois aqui está a alavanca para a recuperação da agricultura e o escoamento de muitas produções, também por via da restauração e da valorização das gastronomias locais. Assim como é decisivo apostar na segurança e mais valias das levadas e dos percursos de montanha que são de uma beleza invulgar nestes concelhos", defendeu. Adiantou também que "as escolas têm que ter um ensino mais direcionado para estas áreas e é preciso criar um calendário de eventos culturais e desportivos mais intenso para atrair turismo interno e dinamizar o comércio e as atividades artesanais".