Presidente da Câmara do Funchal visita obras ansiadas há quatro décadas

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, visitou as obras de execução da nova acessibilidade no Sítio da Cova, em São Roque, com ligação à Estrada Comandante Camacho de Freitas.  O novo arruamento, com o investimento municipal de cerca de 321 mil euros e com uma extensão de 220 metros, vai possibilitar o acesso automóvel aos moradores que ansiavam pela empreitada há quatro décadas. "As obras estão no terreno desde a semana passada, é um concretizar de um apelo de 40 anos de 20 famílias que aqui vivem, bem como dos proprietários dos terrenos adjacentes, e para este Executivo é uma obra considerada estrutural nas zonas altas da freguesia”, explica o autarca.“ "O processo até ao início da execução para esta nova acessibilidade foi exigente e moroso, tendo sido necessário expropriar diversas parcelas de terreno necessárias à execução da mesma, num valor que ascendeu a 19 mil euros. O ramal de acesso direto à Vereda da Cova, possibilita também a passagem de ambulâncias, carros de bombeiros e de recolha de resíduos, uma valência que representa evidentes reflexos na qualidade de vida dos munícipes da zona”, lembrou Miguel Silva Gouveia.  

Presidente da Câmara do Funchal visita obras ansiadas há quatro décadas
O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, visitou as obras de execução da nova acessibilidade no Sítio da Cova, em São Roque, com ligação à Estrada Comandante Camacho de Freitas.  O novo arruamento, com o investimento municipal de cerca de 321 mil euros e com uma extensão de 220 metros, vai possibilitar o acesso automóvel aos moradores que ansiavam pela empreitada há quatro décadas. "As obras estão no terreno desde a semana passada, é um concretizar de um apelo de 40 anos de 20 famílias que aqui vivem, bem como dos proprietários dos terrenos adjacentes, e para este Executivo é uma obra considerada estrutural nas zonas altas da freguesia”, explica o autarca.“ "O processo até ao início da execução para esta nova acessibilidade foi exigente e moroso, tendo sido necessário expropriar diversas parcelas de terreno necessárias à execução da mesma, num valor que ascendeu a 19 mil euros. O ramal de acesso direto à Vereda da Cova, possibilita também a passagem de ambulâncias, carros de bombeiros e de recolha de resíduos, uma valência que representa evidentes reflexos na qualidade de vida dos munícipes da zona”, lembrou Miguel Silva Gouveia.