Presidente da República saúda D. Tolentino Mendonça

Em nota oficial, citada pela Renascença, Marcelo sublinha que "gostaria de estar presente no consistório", mas, impedido de o fazer, envia ao novo cardeal "um cumprimento caloroso e amigo e os desejos de que continue a ser uma referência para...

Presidente da República saúda D. Tolentino Mendonça
Em nota oficial, citada pela Renascença, Marcelo sublinha que "gostaria de estar presente no consistório", mas, impedido de o fazer, envia ao novo cardeal "um cumprimento caloroso e amigo e os desejos de que continue a ser uma referência para tantos, católicos ou não, que lhe reconhecem o valor cultural e humano de quem é, como o próprio se definiu, 'um facilitador de encontros'”. Numa nota publicada no site da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa, saúda o novo cardeal português, D. José Tolentino de Mendonça, à hora em que, no Vaticano, começava o consistório em que arcebispo madeirense, a par de outros prelados, será feito cardeal. "Como escrevi no dia em que foi conhecida a escolha de D. José Tolentino Mendonça para Cardeal, essa honra traduz 'o reconhecimento de uma personalidade ímpar, assim como da presença da Igreja Católica na nossa sociedade, o que muito prestigia Portugal'”, refere a mesma nota, sublinhando que "gostaria de estar presente no consistório", mas, impedido de o fazer, envia ao novo cardeal "um cumprimento caloroso e amigo e os desejos de que continue a ser uma referência para tantos, católicos ou não, que lhe reconhecem o valor cultural e humano de quem é, como o próprio se definiu, 'um facilitador de encontros'”. "Convidado para ser o Presidente das comemorações do próximo Dia de Portugal, D. José Tolentino de Mendonça é um exemplo que alguém que procura ir mais longe e, ao mesmo tempo, estar com todos. Por isso o programa que define para si próprio - “Sentir a cada dia o apelo a ir mais longe, a baixar mais as defesas, a estar menos nos nossos obstáculos, na autorreferencialidade que muitas vezes nos enclaustra, e deixar-se ir atrás” daquilo em que acredita - pode ser também um caminho para cada um e para todos nós como comunidade", acrescenta.