Presidente do Iraque convida o Papa Francisco a visitar o país

O Iraque convidou oficialmente o Papa Francisco a visitar aquele país, depois de o pontífice ter manifestado recentemente a intenção de ir ao território iraquiano em 2020, foi hoje divulgado. "Tenho a honra de convidar oficialmente a Sua Santidade...

Presidente do Iraque convida o Papa Francisco a visitar o país
O Iraque convidou oficialmente o Papa Francisco a visitar aquele país, depois de o pontífice ter manifestado recentemente a intenção de ir ao território iraquiano em 2020, foi hoje divulgado. "Tenho a honra de convidar oficialmente a Sua Santidade a visitar o Iraque, berço da civilização e local de nascimento de Abraão", escreveu o Presidente iraquiano, Barham Saleh, numa missiva endereçada ao Papa, a que a agência noticiosa francesa France Presse (AFP) teve acesso. “A visita (…) será uma oportunidade para lembrar e esclarecer ao Iraque e ao mundo que esta terra deu à humanidade as suas primeiras leis, a rega agrícola e um legado de cooperação entre os povos do mundo de tradições confessionais diversas”, indica o texto redigido em inglês. O Iraque tem sido cenário de uma sucessão de conflitos durante os últimos 40 anos, tendo enfrentado vários anos de embargo internacional, uma invasão norte-americana e, mais recentemente, três anos de ocupação por parte do grupo extremista Estado Islâmico (EI). O país declarou vitória sobre os ‘jihadistas’ há menos de um ano e meio. O clima de violência vivido no país fez aumentar o êxodo de milhares de pessoas, especialmente entre as minorias. O número de cristãos no Iraque passou de 1,5 milhões, antes da queda do regime de Saddam Hussein em 2003, para cerca de 500 mil na atualidade. O Papa Francisco menciona regularmente o Iraque, desejando que o país “não volte a cair em tensões”, tendo já expressado por diversas vezes a sua intenção de visitar o território iraquiano. “Uma ideia insistente acompanha-me, pensando no Iraque, onde tenho o desejo de ir no próximo ano, para que possa seguir em frente, através da participação pacífica e partilhada na construção do bem comum de todos as componentes religiosas da sociedade, e não caia novamente em tensões que vêm dos conflitos intermináveis de potências regionais”, disse o pontífice este mês no Vaticano durante um encontro com representantes das comunidades católicas orientais. O pontífice decidiu designar há cerca de um ano um novo cardeal para o Iraque, o patriarca da Igreja Caldeia no Iraque (líder da maior comunidade católica daquele país), Louis Raphaël Sako. A nomeação foi descrita então como “um pensamento do Papa para os cristãos do Iraque”.