Presidente ucraniano diz que conversa com Trump não deveria ter sido divulgada

O Presidente da Ucrânia defendeu hoje que a conversa telefónica que teve com o seu homólogo norte-americano não deveria ter sido divulgada e desvalorizou a investigação que está a ser feita ao candidato democrata às presidenciais Joe Biden....

Presidente ucraniano diz que conversa com Trump não deveria ter sido divulgada
O Presidente da Ucrânia defendeu hoje que a conversa telefónica que teve com o seu homólogo norte-americano não deveria ter sido divulgada e desvalorizou a investigação que está a ser feita ao candidato democrata às presidenciais Joe Biden. A Casa Branca divulgou na quarta-feira a transcrição de um telefonema feito em 25 de julho pelo Presidente dos Estados Unidos a Vladimir Zelensky. A transcrição mostra que Trump pressionou o Presidente ucraniano para que investigue Hunter Biden, filho de Joe Biden, vice-presidente no mandato de Barack Obama e atual candidato à Casa Branca pelo Partido Democrata, por suspeita de irregularidades na sua ligação com uma empresa ucraniana. No telefonema, feito para felicitar Zelensky pela sua investidura como Presidente da Ucrânia, Donald Trump terá pedido oito vezes ao seu homólogo que investigasse Joe Biden e o seu filho por atos de corrupção na Ucrânia. A alegada pressão terá começado uns dias antes do telefonema, quando Trump congelou ajuda militar à Ucrânia, no valor de cerca de 400 milhões dólares (363 milhões de euros), como forma de coagir o Governo ucraniano a abrir a investigação pedida. A ajuda militar foi transferida depois, a 11 de setembro. Na terça-feira, a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, anunciou a abertura de um processo que visa a destituição do Presidente (“impeachment”) por abuso de poder e violação da segurança nacional. “Acho que estas coisas, estas conversas entre chefes de Estados independentes, não deveriam ser divulgadas”, defendeu hoje Zelenski, à margem da Assembleia Geral da ONU, que está a decorrer em Nova Iorque. Sublinhando que “não tem medo” por a conversa ser divulgada, Zelensky alegou que a investigação a Biden é apenas um dos “muitos casos” sobre os quais fala com líderes de outros países.