“Principal desígnio é aproximar os eleitos dos eleitores”, José Manuel Rodrigues

Confira na íntegra o discurso do novo presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, após a respetiva tomada de posse, na manhã desta terça-feira. “Saúdo todos os madeirenses e porto-santenses representados neste Parlamento...

“Principal desígnio é aproximar os eleitos dos eleitores”, José Manuel Rodrigues
Confira na íntegra o discurso do novo presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, após a respetiva tomada de posse, na manhã desta terça-feira. “Saúdo todos os madeirenses e porto-santenses representados neste Parlamento saído das eleições livres e democráticas de 22 de setembro e espero que todos possamos estar à altura das expetativas do nosso povo, contribuindo para o progresso e o sue bem-estar. Saúdo as nossas comunidades emigrantes que por um pouco por todo o mundo são o nosso orgulho e espero que um dia possam ter representação direta nesta Assembleia, através do voto e da eleição de deputados da Diáspora. Manifesto a abertura do nosso Parlamento para colaborar e cooperar com todas as autoridades civis, militares e religiosas sedeadas na Região e com todas as instituições da sociedade madeirense. Presto reconhecimento a todos os que me antecederam neste lugar: Dr, Emanuel Rodrigues, Dr. Nélio Mendonça, Dr. Miguel Mendonça e Dr. Tranquada Gomes, personalidade que muito deram à nossa terra e cujos melhores exemplos procurarei seguir. Felicito os membros da Mesa hoje eleitos e que comigo irão colaborar na direção dos trabalhos parlamentares. Sou hoje, o deputado com mais anos no Parlamento o que sendo motivo de enorme orgulho, me acarreta, sobretudo, uma imensa responsabilidade no exercício da tarefa que acabam de me confiar para presidir ao principal órgão de Governo próprio da Região Autónoma. Agradeço a todos os que votaram na minha pessoa e espero estar à altura da vossa confiança. Aos que escolheram outras opções de voto quero dizer-vos que a partir de hoje serei o presidente de todos os deputados. Sei de onde venho, sei onde estou e quero caminhar com tosos na dignificação da nossa Causa da Autonomia e Democracia. A nova maioria que vai suportar o XIII Governo regional terá a minha inteira lealdade. As oposições terão o meu maior respeito. E nunca esquecerei que devo ser o denominador comum deste Parlamento. Conheço os direitos da maioria, mas não ignoro os direitos das oposições. A nova composição parlamentar, com poder partilhado entre dois partidos e um grande equilíbrio entre a nova maioria e a oposição constitui um novo desafio para esta Assembleia, que não tenho dúvidas passará a ser o epicentro do debate político. Desejo, tal como os cidadãos, e estou certo que esse debate será feito com vigor e firmeza, mas também com educação e elevação e que nunca se esquecerá o respeito e a consideração que temos o dever de ter uns para com os outros. A dignificação da Autonomia é um trabalho que deve ser permanente e que em momento algum pode ser esquecido. Permitam-se que nesta primeira intervenção, estabeleça como principal desígnio do meu mandato, criar todas as condições para aproximar os eleitos dos eleitores, isto é, tornar mais próxima e frequente a relação dos deputados com aqueles que nos confiaram o seu voto. Não é tarefa fácil, mas é uma exigência dos nossos tempos, pois a democracia não pode reduzir-se ao momento das eleições. O Parlamento deve ir ao encontro do povo que o elegeu e deve abrir-se à comunidade que representa. Só assim entendo a democracia. Este Parlamento é o guardião da nossa Autonomia, e estou certo que cada um de vós será o elemento essencial para que na necessária revisão da Constituição, que se fará mais cedo ou mais tarde e na urgente revisão do Estatuto Político-Administrativo que deve ocorrer nesta legislatura, possamos aprofundar os nossos poderes e competências para legislar e executar novas políticas que potenciem o desenvolvimento da Madeira e do Porto Santo e melhorem a qualidade de vida dos nossos concidadãos. A Autonomia é evolutiva e temos que ser capazes de materializar essa evolução na Constituição, no Estatuto e nas Leis, pois é isso que exige o nosso povo e de que precisamos para aumentar a nossa capacidade de responder aos problemas das famílias e das empresas. Dirijo uma palavra de agradecimento aos funcionários parlamentares que dão o seu melhor por esta casa, que são suporte do nosso trabalho e que continuarão a assegurar com competência o seu funcionamento, bem como à comunicação social, uma palavra de reconhecimento pela cobertura dos plenários, das comissões e de outras atividades parlamentares pelo papel essencial que tem na aproximação da Assembleia aos cidadãos. A todos os deputados e em especial às mulheres e homens que se estreiam neste Parlamento, desejo-vos um excelente mandato e estou certo que todos saberemos responder às expetativas do povo que em nós confiou".