Programa identifica presença do percevejo asiático em Portugal

O Ministério da Agricultura anunciou hoje estar em curso um programa nacional de prospeção direcionado para a identificação da presença do percevejo asiático em Portugal. “Em Portugal, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e as...

Programa identifica presença do percevejo asiático em Portugal
O Ministério da Agricultura anunciou hoje estar em curso um programa nacional de prospeção direcionado para a identificação da presença do percevejo asiático em Portugal. “Em Portugal, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e as direções regionais de Agricultura e Pescas têm vindo a acompanhar a evolução deste problema fitossanitário, estando já em curso um programa nacional de prospeção direcionado para a identificação da presença deste inseto, tal como acontece para mais cerca de seis dezenas de pragas e doenças emergentes”, refere um esclarecimento do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural. A tutela adianta que “perante o surgimento de notícias associando este inseto à problemática da vespa velutina e a um eventual problema de saúde pública, a DGAV esclarece que Halyomorpha halys [nome científico do percevejo asiático] não é perigoso para pessoas e animais”, salientando que “não morde, não pica ou suga sangue, nem transmite doenças, exalando um cheiro forte e desagradável, razão por que é conhecido como ‘brown marmorated stink bug’ (percevejo fedorento)”. No documento, o ministério refere que este é “um percevejo que tem vindo a causar preocupações em vários países terceiros, nos quais tem provocado estragos avolumados em várias culturas, designadamente em espécies de fruteiras”. “No território da União Europeia já sé conhecida a sua presença em pelo menos 15 Estados-membros, sendo Itália o caso que suscita maior preocupação, onde se registam importantes estragos nas culturas”, informa. Assinalando que, “face às características deste inseto, é expectável a sua dispersão pelo território da UE, em particular através do movimento de mercadorias, de meios de transporte e de pessoas”, o ministério pede aos agricultores para estarem “particularmente atentos à eventual presença do inseto em maquinaria e bens que entrem nas suas explorações agrícolas”. “Em caso de deteção, deverão ser tomadas medidas de controlo. Além da luta química, estão já a ser estudadas formas de controlo biológico desta praga, nomeadamente o uso de agentes já usados em fase experimental em Itália”, acrescenta. Na semana passada, investigadores de Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra alertaram contra os perigos do percevejo asiático, “inseto problemático” que, “com certeza”, vai incluir Portugal na “já longa lista de países invadidos”. Numa altura em que se discute intensamente o combate à vespa asiática (vespa velutina), “existe outro inseto muito problemático, o percevejo asiático (Halyomorpha halys), que, com certeza, incluirá Portugal na já longa lista de países invadidos em todo o mundo”, alertou um grupo de cientistas da FCTUC, numa nota enviada hoje à agência Lusa.