PS Madeira quer 50% para novo hospital e alteração do subsídio de mobilidade no início de 2020

Após os três atos eleitorais realizados na Madeira em 2019, o Partido Socialista assegura estar comprometido com “o interesse superior da Região acima de qualquer outro interesse”. A garantia é do deputado Paulo Cafôfo, em declarações após...

PS Madeira quer 50% para novo hospital e alteração do subsídio de mobilidade no início de 2020
Após os três atos eleitorais realizados na Madeira em 2019, o Partido Socialista assegura estar comprometido com “o interesse superior da Região acima de qualquer outro interesse”. A garantia é do deputado Paulo Cafôfo, em declarações após a reunião interparlamentar do PS-Madeira, que decorreu este sábado.  Na reunião entre os deputados dos grupos parlamentares da Assembleia Legislativa da Madeira e da Assembleia da República e a eurodeputada Sara Cerdas, foram tomadas decisões para que se tenha os “problemas da Madeira resolvidos”.  Foram abordadas diversas matérias como por exemplo a dos fundos comunitários, a nível do Parlamento Europeu, tendo sido dada a garantia de que a eurodeputada socialista “tudo fará para que a Região possa sair beneficiada”. No que toca a questões que envolvem a ligação entre a Madeira e a República, Paulo Cafôfo explica que, no que toca ao novo hospital, o PS-Madeira agradece que o Estado tenha classificado este projeto de interesse comum com uma comparticipação, mas sublinha que o partido não concorda com a interpretação do Ministério das Finanças, que, ao valor da comparticipação do Estado, está a descontar o valor patrimonial do Hospital Dr. Nélio Mendonça e do Hospital dos Marmeleiros.  “Tudo faremos, do ponto de vista dos parlamentos regional e nacional, para que seja efetivamente 50% a comparticipação do Estado português para o novo hospital da Madeira”, afirmou. Quanto à questão do subsídio de mobilidade, Cafôfo realça que este necessita de alterações e que o PS irá trabalhar para que seja regulamentada a alteração que fará com que os madeirenses e portossantenses deixem de adiantar o preço da viagem, pagando apenas o valor de residente.  O deputado acredita que esta alteração possa acontecer já no início do próximo ano, após a aprovação do Orçamento de Estado.