PSD exige retoma das ligações aéreas entre o Porto Santo e a Madeira

O Grupo Parlamentar do PSD exige a retoma, o mais rapidamente possível, das ligações entre a Madeira e o Porto Santo, cujas operações foram canceladas até ao dia 24 de outubro deste ano. De acordo com o Grupo Parlamentar, a medida interrompe deste modo o serviço público a que a Região tem direito e agrava “a ultraperiferia a que os porto-santenses estão sujeitos e comprometendo o princípio da continuidade territorial”, acusa os sociais-democratas numa iniciativa realizada hoje no Porto Santo. O deputado Bernardo Caldeira disse não compreender o "silêncio e passividade por parte do Governo da República" relativamente a esta situação que em muito prejudica a população e a economia da ilha. O deputado lembra que este concurso é da responsabilidade do Governo da República, que "já falhou com a população do Porto Santo, quando, por falta de pagamento, esta se viu privada de ligações aéreas durante cerca de duas semanas, sendo urgente que o Estado clarifique toda esta situação e garanta que a ligação Porto Santo-Madeira-Porto Santo estará assegurada o mais brevemente possível". Bernardo Caldeira entende que esta situação não se justifica, numa altura em que se vive uma fase de pré-desconfinamento e em que se procura relançar a economia e o turismo.  O deputado lembrou ainda que o PSD já deu entrada, no início de maio, de um requerimento para uma audição à direção da Binter, estando a Assembleia Legislativa, neste momento, a aguardar o agendamento.      

PSD exige retoma das ligações aéreas entre o Porto Santo e a Madeira
O Grupo Parlamentar do PSD exige a retoma, o mais rapidamente possível, das ligações entre a Madeira e o Porto Santo, cujas operações foram canceladas até ao dia 24 de outubro deste ano. De acordo com o Grupo Parlamentar, a medida interrompe deste modo o serviço público a que a Região tem direito e agrava “a ultraperiferia a que os porto-santenses estão sujeitos e comprometendo o princípio da continuidade territorial”, acusa os sociais-democratas numa iniciativa realizada hoje no Porto Santo. O deputado Bernardo Caldeira disse não compreender o "silêncio e passividade por parte do Governo da República" relativamente a esta situação que em muito prejudica a população e a economia da ilha. O deputado lembra que este concurso é da responsabilidade do Governo da República, que "já falhou com a população do Porto Santo, quando, por falta de pagamento, esta se viu privada de ligações aéreas durante cerca de duas semanas, sendo urgente que o Estado clarifique toda esta situação e garanta que a ligação Porto Santo-Madeira-Porto Santo estará assegurada o mais brevemente possível". Bernardo Caldeira entende que esta situação não se justifica, numa altura em que se vive uma fase de pré-desconfinamento e em que se procura relançar a economia e o turismo.  O deputado lembrou ainda que o PSD já deu entrada, no início de maio, de um requerimento para uma audição à direção da Binter, estando a Assembleia Legislativa, neste momento, a aguardar o agendamento.