PSD quer reforçar e melhorar cuidados prestados nos centros de saúde

O grupo parlamentar do PSD vai apresentar, já na sessão plenária da próxima terça-feira, um projeto de resolução que propõe a reestruturação dos centros de saúde. Numa ação realizada hoje, junto ao centro de saúde de Santana, a deputada Cláudia...

PSD quer reforçar e melhorar cuidados prestados nos centros de saúde
O grupo parlamentar do PSD vai apresentar, já na sessão plenária da próxima terça-feira, um projeto de resolução que propõe a reestruturação dos centros de saúde. Numa ação realizada hoje, junto ao centro de saúde de Santana, a deputada Cláudia Perestrelo ressalvou que esta iniciativa do PSD tem por objetivo relevar a importância e o papel dos cuidados de saúde primários, através da reestruturação do modelo de trabalho e do funcionamento dos centros de saúde. Uma medida que, tal como referiu, inclui o reforço e a contratação de mais recursos humanos, os quais "são indispensáveis para que essa reestruturação seja levada a bom porto". A deputada sublinhou que a saúde é "uma aposta de governação do Partido Social Democrata e, sendo uma aposta clara, esta proposta vai no sentido de melhorar os cuidados de saúde, que já são de qualidade, que são prestados à população, de uma forma efetiva". Ao nível da contratação de novos profissionais, Cláudia Perestrelo lembrou que, ainda na semana passada, foi reforçada com a entrada de novos médicos e novos enfermeiros, estando também prevista a entrada de novos assistentes operacionais e de técnicos de diagnóstico e terapêutica. "Todo este manancial humano de que o SESARAM dispõe é indispensável para a melhoria contínua dos cuidados de saúde, que é isso que é isso que o grupo parlamentar do PSD vem aqui defender", disse. Para o PSD, a nova perspetiva de organização dos centros de saúde deve também garantir horários de atendimento e de consulta mais alargados, bem como o funcionamento do serviço de urgência, o reforço do tipo de respostas e valências disponíveis, nomeadamente meios auxiliares de diagnóstico e de terapêutica, e o investimento em cuidados complementares, designadamente em áreas como a medicina oral e a medicina física e reabilitação.