PTP questiona o processamento do subsídio de mobilidade

O PTP desenvolveu já esta terça-feira uma iniciativa de campanha, no caso junto à vice-presidência do Governo Regional da Madeira, direcionando-se para a questão da mobilidade. Na ocasião, Raquel Coelho, a cabeça de lista às eleições regionais...

PTP questiona o processamento do subsídio de mobilidade
O PTP desenvolveu já esta terça-feira uma iniciativa de campanha, no caso junto à vice-presidência do Governo Regional da Madeira, direcionando-se para a questão da mobilidade. Na ocasião, Raquel Coelho, a cabeça de lista às eleições regionais do próximo dia 22 de setembro, focando as suas atenções no subsídio de mobilidade área, entre a Madeira e o território continental, deixando um conjunto de questões sobre o que aí vem. "Com a alteração ao subsidio de mobilidade deixa de existir o teto máximo das viagens de 400 euros, queremos saber o que vai acontecer a todas as viagens que a partir da publicação da medida sejam compradas em montantes superiores”, questionou, Raquel Coelho, tendo recordado que a revisão já entrou em vigor, mas só produz efeitos a partir do próximo Orçamento de Estado. A mexida referenciada refere-se à alteração ao DL nº134/2015 que regula a atribuição do subsídio social de mobilidade aos Madeirenses, que deixa, assim, "dúvidas jurídicas" ao PTP, em relação ao teto máximo das viagens. Recorde-se que a Assembleia da República aprovou, em 19 de julho último, uma proposta que fixa em 86 e 65 euros as tarifas aéreas pagas, respetivamente, por residentes e estudantes madeirenses em viagens para o continente e Açores, sendo o restante pago diretamente pelo Estado às companhias.