Região está a "construir uma escola mais capaz, mais competente e inclusiva", diz Jorge Carvalho

Decorreu entre ontem e hoje, no Savoy Palace, o ciclo de conferências 'Transição Digital nos Ensinos Básico e Secundário – estratégias e práticas', promovendo um espaço de partilha de experiências e projetos, mas também um local de convívio e de reflexão sobre a influência da inovação e das tecnologias no ensino e na aprendizagem.    Este evento foi organizado pela Escola Virtual, tendo contado com a parceria da Samsung e da Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia. Na sessão de encerramento, o secretário regional de Educação, Jorge Carvalho, sublinhou que o projeto de transição digital na Região "é único no país na sua conceção e capacidade de execução", sendo este um contributo "muito significativo" para a transformação das escolas madeirenses, e do próprio processo de ensino e aprendizagem dos alunos  "naquilo que os vai posicionar com as melhores competências e ferramentas para desempenhos profissionais no final desta década". "Acreditamos que estamos a construir uma escola mais capaz, mais competente, inclusiva, com uma grande capacidade de flexibilidade", destacou.

Região está a "construir uma escola mais capaz, mais competente e inclusiva", diz Jorge Carvalho
Decorreu entre ontem e hoje, no Savoy Palace, o ciclo de conferências 'Transição Digital nos Ensinos Básico e Secundário – estratégias e práticas', promovendo um espaço de partilha de experiências e projetos, mas também um local de convívio e de reflexão sobre a influência da inovação e das tecnologias no ensino e na aprendizagem.    Este evento foi organizado pela Escola Virtual, tendo contado com a parceria da Samsung e da Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia. Na sessão de encerramento, o secretário regional de Educação, Jorge Carvalho, sublinhou que o projeto de transição digital na Região "é único no país na sua conceção e capacidade de execução", sendo este um contributo "muito significativo" para a transformação das escolas madeirenses, e do próprio processo de ensino e aprendizagem dos alunos  "naquilo que os vai posicionar com as melhores competências e ferramentas para desempenhos profissionais no final desta década". "Acreditamos que estamos a construir uma escola mais capaz, mais competente, inclusiva, com uma grande capacidade de flexibilidade", destacou.