Ricardo Vieira destaca a escolha de um “nosso conterrâneo” de entre “milhões de cristãos”

“Há momentos na vida em que temos de dar graças a Deus por eles nos acontecerem, por termos tido a oportunidade de os testemunhar”. Para Ricardo Vieira, advogado e antigo presidente do CDS-PP, um desses momentos foi vivido hoje, no Vaticano,...

Ricardo Vieira destaca a escolha de um “nosso conterrâneo” de entre “milhões de cristãos”
“Há momentos na vida em que temos de dar graças a Deus por eles nos acontecerem, por termos tido a oportunidade de os testemunhar”. Para Ricardo Vieira, advogado e antigo presidente do CDS-PP, um desses momentos foi vivido hoje, no Vaticano, quando Tolentino Mendonça se tornou cardeal. “É um orgulho enorme. Uma ilha que é um pequeno ponto no oceano, num mundo tão grande, com muitos milhões de pessoas, muitos milhões de cristãos, escolher um nosso conterrâneo, um homem de Machico, que teve formação e o princípio da sua vida sempre na Madeira, e vê-lo agora alcandorado a este lugar, que é um lugar de serviço mas também de reconhecido e de louvor à sua personalidade”, afirmou Ricardo Vieira. “Isto deve-se muito à pessoa do senhor padre Tolentino, quer no que escreve, quer no que fala, quer no que testemunha”, justificou, destacando ainda a “quantidade de pessoas que se aproximaram de Deus”, através da sua escrita, presença e palavra. Ricardo Vieira foi um dos madeirenses que assistiu à cerimónia e confraternizou com o novo cardeal, ontem, no Vaticano. “Um dia cheio, pleno”, comentou. Em Tolentino Mendonça vê “um homem ilustre, um homem da cultura, mas fundamentalmente um grande humanista”. “Uma pessoa que aproxima, que acolhe, que faz da palavra a evangelização dos tempos modernos”. Hoje, “julgo que a Madeira estará de parabéns, Portugal está de parabéns, e o D. Tolentino recebe hoje uma nova missão, que Deus, com certeza, o ajudará. Tive muito gosto em estar aqui. Tive muito gosto em abraçá-lo e em transmitir o abraço de muitos madeirenses que não puderam vir, mas que sei que estão com ele”.